ZEBRA NO ENGENHÃO

O Botafogo estava há quatro jogos invicto, vinha de vitória em clássico e sonhava com um salto para o terceiro lugar no Brasileirão.

Já o Avaí era o lanterna e não tinha nenhuma vitória fora de casa na competição.

Porém, contrariando todos os prognósticos, o time catarinense surpreendeu a equipe carioca e saiu do Estádio Nilton Santos com a vitória por 2 a 0, em jogo válido pela décima rodada.

Resultado construído pelos pés do ex-alvinegro Joel, autor dos dois gols, e pelas mãos do goleiro Douglas Friedrich, que, em sua estreia no campeonato, segurou a pressão do Bota com defesas milagrosas na segundo tempo.

Com o resultado, o Avaí chegou aos 8 pontos, subiu para décima nona e devolveu a lanterna para o Atlético-GO.

Já o Botafogo ficou estacionado nos 15 pontos, em sétimo lugar.

No próximo domingo (2), os catarinenses recebem a Ponte Preta em casa pela décima primeira rodada.

Já o Botafogo vai a São Paulo pegar o líder Corinthians.

Antes, na quinta-feira (29), o alvinegro tem um desafio pela Copa do Brasil, nas quartas de final, encara o Atlético-MG.

A “lei do ex” é cruel.

E “cruel” é o apelido de Joel.

Pouco aproveitado no Botafogo, onde disputou dez partidas e fez apenas um gol, o camaronês trocou o clube carioca pelo Avaí recentemente.

E em sua segunda partida pelo time catarinense, o atacante precisou de apenas 19 minutos para balançar as redes duas vezes, mais do que em sua passagem de cinco meses pelo Bota.

Era a primeira partida de Douglas Friedrich como goleiro titular do Avaí no Brasileiro.

Ele ganhou a vaga após a falha de Maurício Kozlinski na partida contra o Fluminense.

E a estrela do gaúcho de 28 anos brilhou.

No segundo tempo, quando o Botafogo passou a pressionar muito, ele fechou o gol, com direito a dois “milagres” em sequência, em um cabeceio e em uma bicicleta de Rodrigo Pimpão.

Já a estrela de Montillo segue sem brilhar no Botafogo.

Enfrentando uma série de problemas físicos desde que chegou ao clube, o meia voltava a começar uma partida como titular depois de quase quatro meses, desde o início de abril, ainda pelo Campeonato Carioca.

Mas a presença do argentino em campo durou apenas 7 minutos.

Ele sentiu a panturrilha direita e teve que ser substituído por Guilherme.

Antes da partida, a filha do atacante Roger, Giulia, que já havia emocionando o Brasil em reportagem do Globo Esporte, voltou a protagonizar uma bela imagem.

Ela entrou com o pai em campo e teve seu nome gritado pelos torcedores do Botafogo:

“Foi muito emocionante.

Pude sentir o carinho que a torcida tem por mim.

Um beijo para toda torcida do Botafogo.

Eu amo vocês!”, disse.

Com Montillo e Camilo de volta, o Botafogo entrou com um time ofensivo para encarar o Avaí.

Mas nos primeiros minutos, foi o clube catarinense que se impôs e logo chegou ao gol, aos 5 minutos, com Joel, ex-Botafogo.

Para piorar, Montillo voltou a sentir e foi substituído por Guilherme.

Após os infortúnios, o Alvinegro chegou a dominar as ações, mas aos 17 minutos do primeiro tempo, em novo ataque, Joel balançou novamente as redes.

A melhor chance do Bota foi com Igor Rabello aos 34 minutos do primeiro tempo.

Após bate-rebate, o zagueiro chutou por cima do gol dentro da pequena área.

O Botafogo voltou do intervalo com pressa, se lançando ao ataque tentando descontar.

Ao mesmo tempo que começava a chegar com mais perigo, o alvinegro também permitia ao Avaí ter boas chances em contra-ataques.

Em um deles, aos 9 minutos do segundo tempo, Victor Luís deu bobeira, Romulo bateu e Gatito defendeu.

O time carioca desperdiçou uma série de boas oportunidades.

Aos 18 minutos, Camilo capou uma bicicleta.

No lance seguinte, ele serviu a Lindoso, que tocou por cobertura, mas a bola foi caprichosamente para fora.

Aos 27 minutos do segundo tempo, Lindoso arriscou de longe e raspou a trave.

Aos 30 minutos do segundo tempo, Pimpão cruzou e Roger furou na cara do goleiro.

Mas quem chegou mais perto do gol foi o Avaí.

Depois de bela tabela, Júnior Dutra acertou o travessão.

Aos 44 minutos do segundo tempo, Pachu dividiu com o goleiro Douglas e quase marcou.

Aos 45 minutos do segundo tempo, Pachu dividiu com o goleiro do Avaí e quase marcou.

No lance seguinte, Douglas fez defesa milagrosa em cabeceio de Pimpão, e Betão salvou na linha em chute de Leandrinho.

A bola sobrou para Pimpão, que emendou de bicicleta para outra linda defesa do goleiro.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *