VITÓRIA SAIU NA FRENTE NA DECISÃO

Sabe a definição do senso comum para um “clássico”?

Geralmente envolve discussão, bola na trave, “Uuuh!” pra lá, “Quaaaase!” pra cá, tensão e até expulsão, se o roteiro for seguido à risca.

Pois Vitória e Bahia trataram de levar tudo ao pé da letra.

Nesta quinta-feira (27, no Barradão, o primeiro jogo das semis do Nordestão foi dos melhores em emoção, chances de gol e, infelizmente, até confusão entre atletas em campo.

Hernane lesionado, Gustavo expulso, Willian Farias esquentado

Edson marcou pelo Bahia no começo; Euller empatou e André Lima ampliou para o Vitória.

Haja emoção no primeiro tempo.

O Bahia abriu o placar aos 5 minutos do primeiro tempo com uma cabeçada de Edson.

Minutos depois, no entanto, o Tricolor perdeu Hernane, machucado, e o substituto, Gustavo, foi expulso pouco depois de entrar em campo.

A partir daí, o clima esquentou, e o Vitória foi para o ataque.

O Leão chegou ao empate com um gol de Euller, após falha de Jean.

Com o 1 a 1, a partida seguiu aberta e com boas chances para os dois lados.

Bahia com um a menos, partida empatada.

E aí o Vitória domina.

Certo?

Sabe de nada, inocente.

Na segunda etapa, o jogo seguiu aberto. André Lima fez o segundo do Vitória aos seis minutos, mas o Bahia não esmoreceu.

Um pouco desorganizado e com a velha dificuldade nas finalizações, é verdade.

Ainda assim, deu trabalho com Allione e Zé Rafael.

Edson passou cerca de 20 dias no departamento médico e já voltou ao time marcando gol.

Logo aos quatro minutos de jogo, o volante abriu o placar de cabeça após uma cobrança de escanteio.

A maré não está boa para o Brocador.

Logo aos 15 do primeiro tempo, o atacante, que estava pendurado, cometeu falta dura em David e acabou levando o terceiro amarelo.

Mas o pior foi que ele se machucou no lance e precisou ser substituído por Gustavo.

Hernane foi retirado de campo com a perna esquerda imobilizada e encaminhado a um hospital de Salvador com fratura na tíbia.

A partida no Barradão foi das mais tensas.

Do lado de fora, tudo certo.

Em campo, os jogadores se desentenderam logo após a expulsão de Gustavo: Feijão saiu do banco e se meteu no meio, e até os dois treinadores apareceram por lá para tentar acalmar os ânimos.

E ainda teve confusão na saída para o intervalo, na beira do campo e na porta dos vestiários.

Na volta do intervalo, o goleiro do Bahia teve uma atitude lamentável.

O departamento de marketing do Vitória fazia uma ação promocional com sócios, que batiam pênalti e tinham que acertar uma espécie de baliza.

Jean chegou para aquecer e retirou o material do Rubro-Negro.

Os torcedores presentes no estádio vaiaram muito o goleiro do Bahia não apenas o intervalo.

Aos 40 minutos do segundo tempo, quando o jogo fervia, eis que duas torres de luz do Barradão se apagam.

E aí foi aquela esfriada na partida, tempo para regularizar a situação.

Teve até um começo de discussão entre membros da comissão técnica do Vitória e o zagueiro Lucas Fonseca.

Após 23 minutos, fez-se a luz.

No domingo (30), às 16 horas, a bola rola para o jogo de volta das semis.

Será na Arena Fonte Nova, com torcida única, e o Bahia pode vencer por 1 a 0 que se classifica.

O adversário da final sairá da disputa entre Sport e Santa Cruz, fazem a primeira partida neste sábado (29), às 18h30, na Ilha do Retiro, em Recife.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *