Vitória protocolar

Brasil atropela a Colômbia e chega à segunda vitória no Sul-Americano Masculino.

Jogando na cidade de Temuco, no Chile, seleção brasileira faz 3 sets a 0 com tranquilidade, parciais de 25/15, 25/10 e 25/17.

Adversário dessa quinta-feira (12) é a Argentina.

Depois de vencer o Equador com facilidade na estreia do Sul-Americano Masculino de vôlei, o Brasil voltou à quadra nessa quarta-feira (11) e fez nova vítima.

Dessa vez o time comandado por Renan Dal Zotto venceu a Colômbia na cidade de Temuco, no Chile, por 3 sets 0, parciais de 25/15, 25/10 e 25/17.

Com 100% de aproveitamento na competição, o Brasil encara agora a Argentina, nesta quinta-feira (12), às 15 horas (horário de Brasília).

A Colômbia começou dando trabalho para o time brasileiro, que não conseguia abrir vantagem no primeiro terço do set.

A tranquilidade só veio quando o Brasil fez 13 a 9, e a partir daí deslanchou na parcial. Triunfo por 25 a 15.

No segundo set, o roteiro da primeira parcial se repetiu.

A Colômbia teve aplicação e fez frente ao time brasileiro no começo.

Mas logo a superioridade técnica do Brasil falou mais alto.

O time de Renan Dal Zotto se impôs e fechou a parcial com um atropelo: 25 a 10.

No último set, a Colômbia conseguiu estender a situação de equilíbrio um pouco mais em relação aos dois primeiros sets, mas não conseguiu resistir na reta final.

O Brasil voltou a se mostrar superior e fechou a partida em três a zero com 25 a 17 na última parcial.

Dono de 31 títulos sul-americanos, o Brasil tenta manter a hegemonia na competição.

O país só não conquistou o torneio em 1964, quando desistiu de participar do evento em meio ao primeiro ano do Governo Militar.

O Brasil está no Grupo A, ao lado de Argentina, Colômbia e Equador.

Na Chave B estão Chile, Venezuela, Peru e Bolívia. Depois do Sul-Americano, a equipe brasileira ainda terá a Copa do Mundo como último compromisso da temporada 2019.

A competição será de 30 de setembro a 15 de outubro, no Japão.

Estão com a seleção na disputa do Sul-Americano os levantadores Fernando Cachopa e Carísio.

Os opostos Alan e Felipe Roque; os centrais Flávio, Isac, Matheus e Cledenilson.

Os ponteiros Leal, Douglas, Hugo e Victor Cardoso, e os líberos Thales e Maique.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *