ÚLTIMOS CLASSIFICADOS NA COPA SUL-AMERICANA

Com um gol do atacante Juan Arce, ex-jogador de Corinthians e Sport, o Bolívar eliminou o Deportes Tolima e está na segunda fase da Copa Sul-Americana.

O boliviano marcou em pênalti duvidoso marcado por Sandro Meira Ricci no fim do primeiro tempo e garantiu o 1 a 0 em La Paz para a equipe anfitriã, que avançou graças ao gol marcado fora de casa na derrota por 2 a 1 no jogo de ida na Colômbia.

Precisando vencer para se classificar, o Bolívar foi para cima e pressionou o Tolima desde o início.

De acordo com o site da Conmebol, foram 27 finalizações do time da casa (18 delas para fora), contra apenas quatro dos visitantes (apenas uma no alvo).

O gol da vitória saiu aos 46 minutos do primeiro tempo.

Na disputa pelo alto, Sandro Meira Ricci considerou que o toque de Rivas nas costas de Fierro foi o suficiente para marcar pênalti.

Na cobrança, Juan Arce chutou forte no meio e garantiu o 1 a 0.

Com dose de emoção, o Oriente Petrolero assegurou sua vaga na segunda fase da Sul-Americana na noite desta quinta-feira (1).

O time boliviano buscou o empate em 1 a 1 com o Deportivo Cuenca no Equador com um gol aos 40 minutos do segundo tempo e avançou depois de vencer nas penalidades o jogo de ida, na Bolívia, também foi 1 a 1.

O duelo foi realizado no Estádio Alejandro Serrano Aguilar, em Cuenca.

Antes de rolar a bola, uma das cenas mais lamentáveis dos últimos tempos.

Óscar Ribera, meia do Oriente Petrolero, foi atingido no rosto por uma pedra quando no momento em que as equipes estavam perfiladas para a execução do hino nacional equatoriano.

Sangrando, ele precisou ter a cabeça enfaixada. Felizmente, nada de mais grave aconteceu, e Ribera pôde ir a campo.

Como a partida realizada na Bolívia havia sido 1 a 1, o Deportivo Cuenca jogava pelo 0 a 0, enquanto qualquer empate de 2 a 2 para cima dava a vaga na próxima fase ao Oriente Petrolero.

E foram os donos da casa os primeiros a marcarem: o argentino Dinenno fez chover na defesa adversária e anotou um golaço aos 44 minutos do primeiro tempo.

Tudo apontava para a classificação do Deportivo Cuenca.

Só que, aos 40 minutos do segundo tempo, quando a partida se aproximava do fim, o árbitro marcou corretamente o pênalti a favor do Petrolero.

Maximiliano Freitas cobrou com força e deixou tudo igual.

O novo 1 a 1 levou a decisão para os pênaltis.

Confira os outros resultados:

Comerciantes Unidos (Peru) 1 X 1 Boston River (Uruguai) – Boston River (Uruguai) classificado

Bolívar (Bolívia) 1 X 0 Deportes Tolima (Colômbia) – Bolívar (Bolívia) classificado

Rionegros Águilas (Colômbia) 1 X 1 Racing (Argentina) – Racing (Argentina) classificado.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *