Tricolor Paulista agita o noticiário esportivo em semana de folga dos clubes: Brigas, racha político, Osório sai, Doriva vem

Em uma semana que deveria ser tranquila por conta do início das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2016, o São Paulo Futebol Clube ferve em fogo alto na maior crise política do clube dos últimos tempos.

Érico Leonan - site oficial
Érico Leonan – site oficial

Na última segunda-feira (5/10) surgiu a notícia de uma desavença entre o presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, e o vice presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro. As primeiras informações davam conta de uma agressão por parte de Ataíde, fato que foi desmentido posteriormente por Aidar. O acontecimento culminou com a saída de Ataíde, e todos os outros diretores. Tudo isso, em meio à indefinição da novela mexicana de Juan Carlos Osório, que no dia seguinte à briga, decidiu por aceitar a proposta da Seleção do México, e assim dar um fim ao seu ciclo como treinador no São Paulo Futebol Clube.

Hoje o colombiano se despediu do elenco, da imprensa, e do futebol brasileiro com um comunicado muito honesto que continha até mesmo um pedido de desculpas por encerrar seu ciclo no futebol brasileiro desta forma. Para seu lugar, chega Doriva, treinador jovem, que acumula dois títulos estaduais por Ituano e Vasco, respectivamente, além de passagens por Atlético Paranaense e, mais recentemente, a Ponte Preta, último clube que dirigiu.

Ataíde removeu o pino da granada que virou o SPFC
Ataíde removeu o pino da granada que virou o SPFC

É preciso ter muita calma para definir culpados nesse caos que virou o São Paulo. A primeira impressão para a torcida é de que Carlos Miguel Aidar transformou o clube em uma enorme bagunça. Atualmente, dia sim, dia não, há uma notícia de bastidores do clube. Quase sempre negativas.

A única certeza que consigo ter desse rolo todo é que Aidar não causou isso sozinho. Não estou nem disicutindo se ele é culpado ou não. Há, claramente erros terríveis da atual gestão. Erros que não podem justificar o caos que os engravatados do Conselho Deliberativo fazem dia a dia, após o rompimento de Aidar com Juvenal Juvêncio. É mais do que nítido que o clube virou isso por conta desse embate político. Muita calma antes de escolher heróis e vilões, nobres tricolores.

Sobre Osório, acho uma pena. Penso que ele demonstrou sua qualidade nos últimos jogos, quando a equipe mais precisou (e quando esteve mais completa). O colombiano deixa o time em boas condições nas duas competições que disputa. Não deixa um legado, mas certamente fica uma ótima impressão. Mais do que isso, fica a dúvida de onde ele poderia ter chegado, se tivesse desembarcado numa equipe bem estruturada, sem crises políticas, sem desmanche e sem a grande quantidade de lesões que teve que enfrentar no período. Em quatro meses o balanço é positivo.

Sobre Doriva, muitos dirão que é arriscado demais. Eu acredito que é um bom nome, que traz consigo uma certa renovação que tanto se pede no futebol brasileiro. Chega dos mesmos nomes. São Paulinos, a hora é de apoiar Doriva, que tem uma bonita história pelo clube.

É hora também de cobrar transparência na gestão. Chega de terrorismo nos noticiários. Presidente, você deve uma satisfação à torcida. O São Paulo de hoje está muito abaixo do São Paulo que o senhor assumiu. Mais do que isso, está muito aquém do São Paulo que o senhor prometeu.

, , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *