TÍTULO INÉDITO

De forma cirúrgica, como se disputasse a competição estadual pela centésima terceira vez, o Manaus mostrou sua força ao enfrentar o centenário Nacional.

Após empate em 1 a 1, neste sábado (10), na Arena da Amazônia, no jogo de volta, conquistou o título inédito em quatro anos de existência.

O empate favoreceu porque tinha vencido o primeiro duelo por 1 a 0.

Negueba marcou de falta para o Gavião e Jefferson Siqueira descontou no final da partida.

As duas equipes representarão o Amazonas na Copa do Brasil e Série D do próximo ano.

Mas o Manaus, com o título, representará o estado, também, na fase de grupo da Copa Verde.

O Nacional tentava usar as bolas aéreas como arma nos primeiros minutos, mas, curiosamente, foi o Manaus que levou perigo dessa forma.

Aos 7 minutos do primeiro tempo, Negueba cobrou falta no segundo pau, Binho apareceu livre e cabeceou torto.

O jogo era bom, tanto que dez minutos depois Peter caiu dentro da área, e Ivan da Silva Guimarães Júnior marcou pênalti.

Alexsandro pegou a bola e cobrou a penalidade, mas na trave esquerda de Jonathan, que até acertou o canto, mas nem precisou defender.

A bola pune, e dessa vez veio a cavalo.

Aos 22 minutos do primeiro tempo, novamente em cobrança de falta de Negueba, o Gavião abriu o placar.

Dessa vez, o lateral bateu direto para o gol, a bola quicou antes e enganou Valverde, que falhou feio: 1 a 0.

Com o placar adverso, Bernardes não tinha mais nada a perder.

Resultado: ainda na metade do primeiro tempo, sacou o volante Mael e colocou em campo veloz Jackie Chan.

Mas nada que mudasse o cenário do tempo inicial, que terminou mesmo com vantagen parcial do Manaus.

No intervalo, Lana tentou corrigir a inferioridade no meio de campo e sacou Netinho, longe de ter repetido as boas atuações, e colocou Thiaguinho.

Em vão.

O Naça, precisando do resultado, foi para cima em busca do empate.

Aos 5 minutos do segundo tempo, Charles assustou em chute de fora, mas Jonathan fez boa defesa.

Aos 8 minutos do segundo tempo, mais uma chegada de perigo.

Dessa vez Alexsandro bateu falta do canto esquerdo, direto para o gol, e quase surpreendeu Jonathan, que deu um tapinha com a ponta dos dedos e ainda viu a bola bater no travessão antes de sair pela linha lateral.

O Nacional seguiu atacando, mas ou esbarrava na falta de pontaria dos atacantes ou na noite inspirada de Jonathan.

A solução encontrada por Bernardes foi usar seus reservas.

Aos 47 minutos do segundo tempo, Jeferson Siqueira ainda empatou, mas já era tarde para esboçar qualquer reação.

O árbitro apitou o fim de jogo, quase gerou confusão, mas logo apartada.

A comemoração tomou do Gavião tomou conta.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *