TÍTULO DA CHAPE E VITÓRIA COLORADA

Em um ambiente imediatista como o futebol, pode soar irrisório.

Não é.

Somente 137 dias depois do acidente aéreo que matou quase todo o seu elenco e também parte de sua diretoria, a Chapecoense entrou em campo na Arena Condá, venceu o Joinville por 2 a 0 e, com uma campanha fantástica, assegurou o seu primeiro título após a tragédia na Colômbia.

O time comandado por Vagner Mancini embalou na temporada e chegou a oito vitórias consecutivas.

Ela é especial para a Chape.

Não apenas por todo o seu passado recente, mas também por carregar o nome do maior presidente de sua história, Sandro Pallaoro, que batiza o troféu do segundo turno catarinense.

Ele esteve entre as 71 vítimas do voo para a final da Copa Sul-Americana.

Principal jogador da equipe em 2017, o lateral esquerdo Reinaldo foi premiado com o gol que abriu o caminho para o título e que, conforme se desenhava pelas ruas de Chapecó ao longo da semana, com uma rodada de antecedência.

Ao 33 minutos, ele lançou lateral na área e a defesa do Joinville se enrolou e pôs a mão na bola.

O ex-são-paulino foi para a cobrança e bateu no canto esquerdo para marcar.

Festa na Arena Condá.

Ficou barato.

Na volta para o segundo tempo, aos cinco, Rossi fez grande jogada, deixou a marcação na saudade e acertou na trave.

Os donos da casa seguiram pressionando, tiveram outras três excelentes chances, mas esbarraram na falta de pontaria.

Em tabelinha com Andrei Girotto, Tulio de Melo, que entrou no fim, recebeu na área e fechou a conta aos 38 da etapa final.

Foram 12.104 mil pessoas.

Com 22 pontos no segundo turno, seis a mais que o Joinville, segundo colocado, a Chape enfrentará o Avaí na decisão do Catarinense.

Veja os resultados da rodada:

Chapecoense-SC 2 X 0 Joinville-SC

Metropolitano-SC 2 X 2 Criciúma-SC

Brusque-SC 2 X 1 Inter de Lages-SC

Avaí-SC 0 X 1 Almirante Barroso-SC

Tubarão-SC 0 X 0 Figueirense-SC

A vantagem é colorada, embora magra.

Com um a menos no segundo tempo, o Inter fez 1 a 0 no Caxias, na noite deste sábado (15), no Beira-Rio, e larga com vantagem na semifinal do Gauchão.

O confronto está, porém, longe de qualquer definição.

Até porque, após um bom primeiro tempo colorado, a equipe grená pressionou e por pouco não chegou ao gol de empate.

Ficou tudo para o próximo domingo (23), no Estádio Centenário, em Caxias do Sul.

Minutos antes da partida, Roberson ficou com a vaga de Edenílson, com dores na coxa.

Final, Internacional-RS 1 Caxias-RS 0.

Neste domingo (16), a outra partida das semifinais entre Grêmio-RS e Novo Hamburgo-RS, às 16 horas, na Arena do Grêmio.

Reportagem: Espn.uol.com.br/Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *