Tá tranquilo, tá favorável? Não é bem assim para Lucão

Estava um clássico morno, sem graça, truncado, sem expectativa nenhuma de sair um gol no primeiro tempo do jogo Corinthians e São Paulo na tarde deste domingo pelo Campeonato Paulista. Estava, até o zagueiro Lucão dar o ar da graça e entregar um gol de bandeja para o arquirrival.

Duas falhas no mesmo lance. O primeiro ao chutar a bola em cima do lateral Mena e em seguida, para completar a cena lastimável, “tentou” recuar para o goleiro Dênis e deu um “belo” passe para Lucca abrir o placar no Majestoso. Em menos de dois meses, Lucão mostrou um “bom” retrospecto a favor do time adversário. Na surra de 6 a 1, em novembro do ano passado, pelo menos em duas oportunidades o zagueiro deu alegria à torcida adversária.

O que ainda não dá para entender é o fato de São Paulo não ter emprestado Lucão para uma equipe de menor expressão para ele pegar uma experiência maior. Ele já ficou queimado no clássico do ano passado, quase entregou a paçoca na penúltima rodada do Brasileirão, contra o Figueirense no Morumbi, que poderia complicar a disputa da equipe por uma vaga na Libertadores 2016, e hoje se queimou ainda mais após a falha grotesca. Acredito que a diretoria pecou ao não emprestá-lo.

O técnico Edgardo Bauza fez  certo ao protegê-lo na coletiva de imprensa pós jogo ao afirmar que Lucão não pode ser crucificado, mas o treinador terá que conversar muito com ele, pois se o zagueiro Breno não se recuperar até quarta-feira para a estreia do time na fase de grupo da Libertadores, contra o The Strongest, da Bolívia, certamente Lucão será titular, e aí terá de enfrentar a torcida do São Paulo possivelmente pegando em seu pé desde o início da partida. Resta saber como ele suportará a pressão.

Já dizia aquela velha premissa do futebol: “Bola para o mato que o jogo é de campeonato”. Zagueiro limitado não tem que inventar. É não sentir vergonha de isolar a bola nem que for para fora do estádio.

Lucão tem muito o que aprender e evoluir. Então, Lucão, bola para frente (PARA FRENTE), porque sua situação não está tranquila e nem tão pouco favorável, menino.

About José Rodolfo Pereira

View all posts by José Rodolfo Pereira →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *