SUPERCAMPEÃO ESPANHOL

Os tempos são outros.

Não há dúvidas de que o Real Madrid está no topo da Europa há dois anos.

Mas a diferença para seu maior rival ficou ainda mais evidenciada.

Em jogo de volta pela Supercopa da Espanha, nesta quarta-feira (16), a equipe de Zinedine Zidane parecia estar diante de uma pequena equipe da La Liga.

Mas era o Barcelona.

Com um primeiro tempo arrasador, os merengues venceram por 2 a 0, aplicaram 5 a 1 no placar agregado e ficaram com sua décima taça da Supercopa.

Com sobras. Para confirmar quem é dominante no momento.

Um dado resume o primeiro tempo no Santiago Bernabéu: o Real Madrid finalizou nove vezes, e o Barcelona apenas uma.

Sem Cristiano Ronaldo, suspenso, os merengues foram certeiros.

Velozes. Intensos.

O Barça não conseguia trocar passes, avançar ao campo rival.

E o time de Zidane tinha o controle total.

Com três minutos, Asensio acertou um chutaço da intermediária e fez um belo gol, por cobertura: 1 a 0.

Benzema, aos 38 minutos do primeiro tempo, fez o segundo dos donos da casa, em um vacilo da marcação catalã, após cruzamento de Marcelo: 2 a 0 e título assegurado.

O Barcelona até esboçou uma reação.

Mas eram necessários quatro gols para o título.

E do outro lado estava a forte marcação madridisa.

O Barça acertou a trave com um chute de Messi e uma cabeçada de Suárez, parou em Navas algumas vezes, mas não conseguiu balançar as redes rivais.

Ernesto Valverde viu a limitação de sua equipe.

Com pouca criatividade e sem muitas opções no elenco, o técnico iniciou a partida com três zagueiros, lançou Semedo na segunda etapa, se frustrou pela primeira vez com André Gomes na temporada e viu pouco de sua equipe.

A missão será dura para o restante do ano.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *