SHOW DE EMPATES NA SEGUNDA-FEIRA

A partida entre Mogi Mirim e Joinville só mostrou novamente em que nível se encontra a arbitragem brasileira.

E é bem ruim, se levado em conta o erro absurdo que garantiu o empate em 1 a 1, nesta segunda-feira (10) à noite.

O Joinville vencia quando, aos 25 minutos do segundo tempo, o Sapo se aproveitou de um lance muito irregular para garantir um ponto em casa.

Tatuí deu sequência à jogada mesmo com a bola fora do campo.

Como o árbitro José Ricardo Vasconcellos Laranjeiras, perto do ocorrido, não marcou a saída, o lance seguiu até definir o placar final no Vail Chaves, em duelo válido pela nona rodada da Série C do Campeonato Brasileiro.

O gol de empate do Mogi foi tão irregular que todos os jogadores, com exceção de Tatuí, pararam e deram as costas à jogada após ver a saída pela linha de fundo.

O goleiro Matheus, por exemplo, estava atrás de outra bola para bater tiro de meta.

Mas a atitude do atacante, que aproveitou desatenção da arbitragem para criar o lance, fez com que a partida terminasse igual.

No primeiro tempo, o Joinville abriu o marcador com Rafael Grampola.

O empate prejudicou bastante os planos do Joinville, que entraria no G-4 em caso de vitória fora de casa (seria a primeira na condição de visitante).

Agora, a equipe catarinense fica com 11 pontos, na sétima colocação poderia estar em quarto.

Do outro lado, nem mesmo o ponto diante da torcida tirou o Mogi Mirim da lanterna do Grupo B, com oito pontos.

A equipe novamente tropeça diante da sua torcida na temporada.

As duas equipes abrem o returno da Série C no fim de semana, com mandos invertidos.

O Mogi tenta sair da lanterna contra o São Bento, sábado, às 17 horas, em Sorocaba.

Já o Joinville, em casa, tenta enfim assumir uma vaga no G-4 contra o Ypiranga, domingo, às 15 horas, na arena.

O primeiro tempo teve pouquíssimas emoções.

Foram 30 minutos de muita disputa de bola e nenhuma oportunidade criada.

Depois, cada time criou um lance de perigo.

O Mogi acertou a trave em cobrança de falta de Emerson, e o Joinville foi mais eficiente: após chute cruzado, Rafael Grampola se jogou de carrinho na bola para abrir o placar no interior de São Paulo.

Na etapa final, o Sapo voltou mais consistente.

Criou três boas possibilidades de empatar a partida, mas em todas parou na atuação inspirada do goleiro Matheus.

Com tantas dificuldades de furar a defesa adversária, o time da casa contou com erro da arbitragem para empatar com Pretinho.

O Joinville reclamou e até esboçou uma reação, mas não conseguiu marcar.

O jogo entre Confiança e ASA foi emocionante.

Muitas variações.

O Dragão abriu o placar no finalzinho do primeiro tempo, com Thiago Silvy, e o Alvinegro foi buscar o empate na etapa final.

Jhulliam teve a chance de fazer o gol da virada em Aracaju, mas perdeu um pênalti e a partida desta segunda terminou mesmo empatada por 1 a 1, na Arena Batistão.

O Dragão, que não vence há sete partidas, é agora o sexto colocado, com 10 pontos.

O Alvinegro tem a mesma pontuação, mas está em sétimo, pelo saldo.

Sábado (15), o ASA disputa o clássico alagoano contra o CSA, às 21 horas, em Arapiraca.

No mesmo dia, o Confiança encara o Salgueiro, às 20h, no interior de Pernambuco.

O jogo começou com muita marcação.

Disputas ríspidas no meio-campo e poucas jogadas efetivas.

Aos 12 minutos do primeiro tempo, o ASA ainda sofreu uma baixa pesada.

Destaque do time alagoano, o atacante Leandro Kível sentiu uma lesão muscular e foi substituído pelo estreante Brunão.

Aos 16 minutos do primeiro tempo, a primeira chance do jogo.

Thiago Silvy cabeceou com liberdade e a bola passou perto do gol alvinegro.

O Confiança voltou a apertar aos 21 minutos do primeiro tempo.

Jussimar furou na área depois de ótima jogada de Léo Ceará.

A partida ficou morna.

Aos 47 minutos do primeiro tempo, Radar experimentou do meio da rua e Carlão fez uma boa defesa. Foi uma pancada.

Aos 51 minutos do primeiro tempo, a defesa do ASA se atrapalhou, o goleiro também cochilou e a bola chegou para o atacante Thiago Silvy, que cabeceou livre para abrir o placar.

O segundo tempo foi bem melhor para o ASA.

Aos 11 minutos do segundo tempo, Everton bateu falta e acertou o travessão do Confiança.

Teve mais.

Aos 14 minutos do segundo tempo, André Lima também cabeceou na trave do time sergipano.

André, quatro minutos depois, cabeceou de novo e a bola passou muito perto do gol.

O Confiança recuou muito e continuou passando sufoco.

De tanto tentar, o ASA chegou ao empate aos 24 minutos. Everton cobrou escanteio e Jhulliam emendou de primeira, numa bela virada.

Primeiro gol do atacante com a camisa alvinegra.

Jhulliam poderia ser o herói da partida, mas perdeu a chance da virada.

Aos 32 minutos do segundo tempo, o árbitro marcou pênalti para o ASA.

Jhulliam assumiu a responsabilidade, escolheu o canto esquerdo, mas chutou pra fora.

O Confiança chegou apenas aos 41 minutos do segundo tempo.

Léo Ceará acionou Thiago Silvy livre, mas ele não alcançou a bola na área.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *