SANTOS E CORINTHIANS NA FINAL

O Santos está pela primeira vez na final do Brasileiro feminino.

A classificação inédita das Sereiras da Vila veio após bater o Iranduba da Amazônia, time que fez a segunda melhor campanha na primeira fase.

As Sereias da Vila carimbaram o passaporte na noite deste sábado, na Vila Belmiro, ao vencerem as amazonenses por 3 a 2, em jogo nervoso até o gol de Brena nos acréscimos.

Os outros dois do Peixe foram marcados por Sole James.

O Hulk descontou com Djeni e Mari.

O primeiro jogo da finalíssima será no dia 12 e o segundo no dia 19.

Além da vitória neste sábado, por 3 a 2, o Santos também já havia vencido o primeiro duelo contra o Hulk, no último dia 29, em Manaus.

Na ocasião, as Sereias da Vila bateram as amazonenses por 2 a 1 diante de 25 mil pessoas na Arena da Amazônia.

Depois de ter vencido o primeiro jogo, o Santos podia até perder por 1 a 0 que se classificaria.

Levou um susto logo no primeiro minuto quando Dany Helena recebeu de Kamilla e chutou para fora e quase abriu o placar.

Mas depois deu a resposta em grande estilo, aos quatro minutos, com a atacante Sole James, que recebeu na na frente e bateu na saída da goleira Rubi: 1 a 0.

E aos nove poderia ter ampliado também com Sole.

A camisa 9 recebeu cruzamento da direita na medida de Sochor, mas bateu de primeira para fora.

O Iranduba reagiu somente aos 23 minutos do primeiro tempo, de bola parada. Djeni cobrou bem a falta e a goleira Dani defendeu com as pontas dos dedos.

Mas aos 26 minutos do primeiro tempo, o árbitro viu toque de mão de Brena e marcou pênalti para a equipe amazonense. Djeni, com categoria empatou o jogo.

Depois do gol, o Iranduba equilibrou a partida e passou a dominar, mas sem levar muito perigo ao gol do Santos.

Na segunda etapa, o Santos começou avassalador novamente.

Logo aos 7 minutos do segundo tempo ampliou o placar.

Após Ketlen desviar de cabeça, Solen James recebeu na ponta esquerda, avançou e bateu na saída da goleira Rubi para aumentar o placar: 2 a 1.

Com o gol, a atacante do Santos chegou aos 16 gols no Brasileiro feminino e se isolou na artilharia.

E, logo depois, aos 10 minutos do segundo tempo, quase as Sereias ampliam.

Após falta cobrada por Maurine, a bola sobrou para Solen, que chutou com a goleira Rubi vendida no lance, mas a zagueira Karen salvou quase em cima da linha.

E quando o Santos era melhor e tinha acabado de ter uma chance com Brena, em chute de fora da área, para fora, o Iranduba conseguiu o empate.

Após lançamento na área, a zaga manda a bola para o alto e Mari aproveita o rebote para empatar.

O gol deu ânimo para as amazonenses que passaram a pressionar de tudo quanto é jeito e, principalmente com as bolas aéreas, mas aos 47 minutos do segundo tempo levou um balde de água fria com o gol de Brena, que recebeu de fora de área e mandou balaço, sem chances para a goleira Rubi.

O Corinthians está na final do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino Série A1 de 2017.

Após derrota por 2 a 1 para o Rio Preto na ida, o Timão venceu por 1 a 0, na Arena Barueri, neste domingo (9), e se tornou o segunda finalista do torneio.

Na decisão, o Corinthians terá pela frente o Santos.

Na primeira etapa do confronto deste domingo, o Rio Preto, que entrou em campo com a vantagem do empate, demonstrou bom volume de jogo, restando ao Corinthians se defender bastante.

Apesar disso, o melhor lance antes do intervalo foi alvinegro.

Depois de cobrança de falta, aos 16 minutos do segundo tempo, a bola bateu duas vezes na trave da goleira Letícia e não entrou.

Após o intervalo, o Corinthians tomou as rédeas da partida para si e foi superior.

Com o gol sofrido e a necessidade de ir para o ataque, as jogadoras do Rio Preto apresentaram nervosismo, principalmente com as ações da arbitragem.

Em decorrência do lance do gol corintiano, o Rio Preto perdeu sua artilheira.

Revoltada, a atacante Darlene cuspiu no árbitro e recebeu o cartão vermelho, deixando a equipe do interior com 10 jogadoras em campo.

Com a vantagem no placar e superioridade numérica, o Corinthians ainda contou com uma atuação inspirada da goleira Lelê, que salvou a equipe em tentativa de Maiara e manteve o 1 a 0.

Aos 33 minutos, o Rio Preto perdeu outra jogadora expulsa.

Já amarelada, Edilaine exagerou na reclamação e foi punida com o cartão vermelho.

A última oportunidade da partida foi do Corinthians.

Aos 40 minutos do segundo tempo, Gabi Nunes fez jogada individual, passou pela zagueira adversária e obrigou Letícia a fazer grande defesa.

No final do confronto, nem mesmo os cinco minutos de acréscimos foram suficientes para o Rio Preto balançar as redes, empatar o jogo e se classificar.

Reportagem: Globoesporte.globo.com/ torcedores.uol.com.br

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *