RIVER FEZ HISTÓRIA

O que fazer quando são precisos quatro gols de vantagem para obter uma classificação? Marcar os quatro.

Em cada tempo.

O River Plate exagerou em sua “remontada”.

Massacrou o Jorge Wilsterman na noite desta quinta-feira (21).

E propiciou aos mais de 60 mil presentes no Monumental de Nuñez uma noite histórica.

Goleou o time boliviano por 8 a 0, após levar 3 a 0 no jogo de ida, em Cochabamba.

O atacante Scocco, ex-Internacional, teve, seguramente, a melhor atuação de sua vida.

Marcou cinco dos oito gols do time de Marcelo Gallardo.

O River está vivo.

E se agiganta na luta pelo tetra.

A tarefa do Lanús era mais simples que a do River.

Mas isso não quer dizer que era fácil.

Após perder por 2 a 0 para o San Lorenzo no jogo de ida, o time granate devolveu o placar nesta quinta-feira (21), no La Fortaleza, e contou com o brilho de Andrada na decisão por pênaltis para ir à semifinal.

É a primeira vez do Lanús entre os quatro melhores da Libertadores, que terá um argentino na final.

A equipe do técnico Jorge Almirón encara o River Plate na próxima fase, para saber quem decidirá o torneio.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *