NOVA ZELÂNDIA E PERU EMPATARAM NA PRIMEIRA PARTIDA

Sem Guerrero, Peru não fez gols.

Mas também não levou.

E ficou no empate por 0 a 0 com a Nova Zelândia em Wellington, em jogo de ida pela repescagem para a Copa do Mundo.

Faltou criatividade e pontaria às duas seleções, que desperdiçaram algumas chances.

Mas não fizeram grande partida.

Em Lima, no jogo de volta, os neozelandeses jogarão por um empate com gols para ir ao Mundial. Sem o atacante do Flamengo, suspenso por doping, os peruanos têm que vencer.

Um novo 0 a 0 leva para a prorrogação e pênaltis.

Sem Guerrero, Ricardo Gareca escolheu Farfán como sua referência na frente.

Mas perdeu em força e manutenção de posse de bola no ataque.

Sorte que os neozelandeses pouco ameaçam e, às vezes, batem cabeça entre si e abrem espaços.

Assim, aos 6 minutos do primeiro tempo, quase o Peru abriu placar, com Cueva aproveitando bobeada da defesa mandante.

Mas só assim. Cueva até buscou o jogo, arriscou chute da entrada da área, apareceu pelo lado direito.

Sem muito brilho.
Os neozelandeses, por sua vez, só chegaram com um chute de Marcos Rojas aos 20 minutos.

E só.

A segunda etapa foi mais movimentada.

As duas equipes deram mais espaços.

Mas faltou pontaria. Marinovic foi o destaque neozelandês com pelo menos três boas defesas, a principal delas após cabeçada de Corzo, aos 17 minutos do segundo tempo.

Usando o lado esquerdo, com Trauco e Flores, o Peru era mais agressivo.

Mas pouco seguro atrás.

Depois da entrada do atacante Chris Wood, a Nova Zelândia passou assustar.

O jogador do Burnley, principal atleta do país, não foi escalado desde o início devido a uma lesão na coxa.

Mas incomodou em seus 20 minutos em campo.

Participou das jogadas que originaram o chute de Barbarouses e Ryan Thomas, que quase acabaram em gol.

Mas só quase.

Peru Nova Zelândia repescagem (créditos: Dean Pemberton/EFE)

O próximo encontro é na madrugada de quarta, dia 15, para a quinta-feira, dia 16, às 00h15 (de Brasília), no estádio Nacional de Lima, no Peru.

O gol marcado fora de casa é critério de desempate.

Os neozelandeses jogam por um empate com gols.

Ao Peru, resta a vitória para garantir a vaga na Copa do Mundo após 35 anos a Nova Zelândia disputou o Mundial pela última vez em 2010.

Um novo 0 a 0 leva a decisão para a prorrogação, quando a regra do gol fora de casa também é válida.

A torcida peruana invadiu Wellington.

Compareceu em grande número, fez barulho, cantou orgulhosa o hino do Peru, fez festa pelas ruas da capital neozelandesa e, principalmente, mostrou seu apoio ao principal jogador da seleção: Guerrero.

Foram vistas várias camisas do atacante do Flamengo e capitão do Peru na arquibancada.

O jogador está suspenso preventivamente pela FIFA após ter testado positivo em exame antidoping depois de jogo contra a Argentina nas eliminatórias.

Nesta sexta-feira (10), rompeu o silêncio e garantiu que provará sua inocência.

Mas será desfalque novamente no jogo de volta da repescagem.

Na capital peruana, os torcedores também foram às ruas.

Fizeram uma prévia do que será na próxima quarta-feira (15).

Acompanharam a partida em um telão instalado em um parque da cidade, sofreram e mostraram a ansiedade com o momento.

O Peru não vai à Copa do Mundo desde 1982, na Espanha.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *