Não saíram do lugar

Remo sai na frente, mas Ypiranga-RS consegue empate em pênalti duvidoso.

Leão chega a seis partidas sem vencer e pode deixar o G-4 até o final da rodada.

Ypiranga-RS ultrapassa momentaneamente o Paysandu e dorme na quinta colocação do Grupo B.

Garré e Reinaldo marcam os gols

Depois de um primeiro tempo devagar, Ypiranga-RS e Remo esquentaram a noite na fria Erechim durante a etapa final.

O Leão saiu na frente com Guilherme Garré, mas o Canarinho conseguiu empatar com Reinaldo, cobrando pênalti discutível marcado pelo árbitro.

Mesmo garantindo pontos para cada equipe, o resultado acabou não sendo do melhor interesse para ambas.

O time paraense corre risco de sair do G-4 até o final da rodada, enquanto os gaúchos seguem sem conseguir retornar à zona de classificação ao mata-mata.

O Remo chega aos 19 pontos e por enquanto se mantém na quarta colocação do Grupo B, com o mesmo número de pontos de São José-RS (Terceiro Colocado) e Volta Redonda (Segundo Colocado).

As equipes, no entanto, ainda jogam na rodada ao longo do final de semana.

O time paraense pode ser ultrassado pelo maior rival, o Paysandu, que encara o Voltaço na segunda-feira (22).

Já o Ypiranga-RS ganha momentaneamente uma posição e ficam na quinta colocação também até o jogo do Papão, que fica em sexto, com os mesmos 18 pontos do Canarinho, porém atrás no saldo de gols.

Ypiranga-RS e Remo voltam a jogar no sábado da semana que vem, dia 27 de julho.

A equipe gaúcha viaja a Tombos, no interior de Minas Gerais, para encarar o Tombense a partir das 16 horas (horário de Brasília).

O Leão vai até Rio Branco, capital do Acre, e enfrenta o Atlético-AC às 19h15 (horário de Brasília).

Apesar das boas chances criadas pelas equipes, a metade inicial do jogo foi, em si, lenta.

O começo cauteloso de Ypiranga-RS e Remo tinha muitos passes laterais e poucas infiltrações.

O duelo chegou a esquentar um pouco depois dos 15 minutos do primeiro tempo, quando o Ypiranga começou a jogar de maneira mais vertical.

A primeira boa chance saiu aos 20 minutos do primeiro tempo, em falta cobrada por Henrique Ávila. Três minutos depois, aos 23 minutos do primeiro tempo, Vinícius salvou nova finalização de Ávila e a sobra de Jackson no mesmo lance.

A partir daí o Leão se espertou e valorizou bastante a posse da bola, mas teve dificuldade de penetrar na defesa adversária.

As únicas chances do time paraense vieram em chutes de longa distância, de Garré e Gustavo Ramos, aos 32 minutos do primeiro tempo e 38 minutos do primeiro tempo, respectivamente.

Se a etapa inicial foi morna, a metade final ganhou um pouco em emoção.

O Remo conseguiu abrir o placar logo aos 3 minutos do segundo tempo, aproveitando erro da defesa gaúcha.

Renato perdeu a bola para Gustavo Ramos, que arrancou em velocidade e tocou para Garré, na área, livre de marcação: 1 a 0.

O gol fez com que o Ypiranga-RS abandonasse a postura defensiva em busca do empate.

O clube gaúcho investiu nas bolas aéreas e, assim, garantiu cobrança de pênalti duvidosa.

Ramires dividiu no alto com Reinaldo e o árbitro viu uma falta do volante azulino.

O próprio Reinaldo bateu e deixou tudo igual.

O Leão poderia ter voltado à frente no placar aos 29 minutos do segundo tempo, porém Eduardo Ramos perdeu gol embaixo da trave.

Nos minutos finais o Canarinho ensaiou uma pressão, mas não levou mais perigo ao gol do time paraense.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *