MUDANÇA DE COMANDO

Nesta terça-feira (1), a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) definiu a troca de comando da Seleção Brasileira de Futebol Feminino.

Saiu Vadão, que comandava desde 2014, e entrou pela primeira vez na história uma mulher, Emily Lima.

Antes, sete técnicos homens passaram pelo comando da seleção feminina: Zé Duarte, Renê Simões, Fernando Pires, Ademar Fonseca, Wilsinho Oliveira, Paulo Gonçalves e, por último, Vadão.

Vadão que ficou a frente da seleção por mais de dois anos foi indicado pela FIFA como um dos 10 finalistas ao prêmio de melhor técnico de futebol feminino de 2016.

Conquistou uma medalha de ouro no Pan de Toronto, em 2015, e o título da Copa América feminina 2014 no Equador.

Já na Copa do Mundo de 2015, no Canadá, caiu nas oitavas de final para a Austrália.

Nos Jogos Olímpicos Rio-2016, as meninas ficaram na quarta posição.

Essa não foi a primeira vez que a técnica Emily marcou o nome em um feito inédito do futebol.

No ano de 2013 tornou-se a primeira técnica mulher a trabalhar na CBF.

Na época, assumiu o time sub-17.

Emily foi ex-jogadora de futebol.

Começou a carreira no Saad de São Paulo, um dos precursores do futebol feminino no Brasil.

Jogou também na Espanha, por cinco anos.

Em 2009, por causa de uma série de lesões sofridas, encerrou a carreira como atleta na Itália.

Já a carreira fora das quatro linhas começou em Portugal, como auxiliar técnica.

Em 2012, Emily comandou o Juventus, de São Paulo, e, em seguida, assumiu o São Caetano do Sul.

E contratada pelo São José, onde foi vice-campeã da Copa do Brasil na última semana, quando perdeu a final para o Audax.

A estreia de Emily Lima pela seleção feminina será no Torneio Internacional de Manaus, no dia 7 de dezembro, contra a Costa Rica.

No dia 11, o Brasil enfrenta a Rússia, e no dia 14, a Itália.

Reportagem: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *