Maior goleada da história das Copas

Estados Unidos aplica maior goleada da história das Copas em estreia contra Tailândia.

Jogo foi marcado pela superioridade americana, com destaque para Alex Morgan, autora de 5 dos 13 gols.

Em maior goleada da história das Copas do Mundo, Estados Unidos vence a Tailândia por 13 a 0, em Reims, nesta terça-feira (11).

O jogo foi válido pela primeira rodada da Copa do Mundo Feminina.

A craque Alex Morgan marcou cinco vezes na partida, seguida de Lavelle, com dois gols.

Horan, Mewis, Rapinoe, Lloyd e Mal Pugh marcaram um, cada.

As tailandesas mal tiveram a oportunidade de encostar na bola.

Nesta terça-feira (11), a seleção feminina dos Estados Unidos alcançou um feito ao vencer a Tailândia com o maior placar da história das Copas do Mundo.

E quem já deixou claro que fará uma ótima competição foi a atacante Morgan, que balançou a rede cinco vezes na partida, além de vários outros sustos à zaga adversária.

A veterana Lloyd custou a deixar o seu, mas conseguiu fechar o placar com chave de ouro ao marcar o décimo terceiro do jogo.

Destaque também à estreante Mal Pugh, de 21 anos, que entrou no segundo tempo e logo mandou para o fundo das redes.

As atuais campeãs do mundo já mostraram que vão dar trabalho durante o Mundial.

A camisa 13 dos Estados Unidos foi a melhor em campo.

Além de marcar cinco gols na estreia, igualou ao recorde de sua compatriota Michelle Akers, que também fez cinco num mesmo jogo na primeira Copa do Mundo Feminina, em 1991, contra Taiwan.

Na época, as americanas venceram as asiáticas por 7 a 0.

Com a goleada, os Estados Unidos assumem a liderança do Grupo F, enquanto a Tailândia fica na lanterna.

Quem também está em segundo é a Suécia, que venceu o Chile por 2 a 0, nesta terça-feira (11).

Chile fica com a terceira colocação.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *