As lutas cotidianas de um lutador de caratê no Brasil

Se você acompanha o noticiário esportivo brasileiro certamente é bombardeado por notícias sobre o esporte mais popular do Mundo todos os dias. É natural, uma vez que o futebol é a grande paixão do país. Mas há uma realidade que a mídia não repercute: o desafio de praticantes de outras modalidades para seguirem suas carreiras e representarem o país nas principais competições.

Esse é o caso de Jean Monne Medrado, de 26 anos e atleta de alto rendimento há 16 anos. Jean é carateca profissional e luta (literal e figurativamente) para seguir na carreira representando o Brasil nas grandes competições da categoria. Medrado possui em seu currículo títulos como Panamericano IKGA 2016, Sulamericano por equipes WKF 2012Brasileiro CBK 2015Brasileiro IKGA 2016.

O Comitê Olímpico Internacional já decretou que a modalidade fará parte dos jogos olímpicos de Tóquio em 2020. Sobre a novidade, Jean é otimista sobre os investimentos no esporte, mas mesmo com tantas conquistas na categoria, não se vê no time Brasil de 2020.

“Agora que o Caratê é um esporte olímpico, os investimentos na categoria aumentarão com certeza, mas no Brasil o apoio só vem depois do resultado muito expressivo alcançado. O atleta tem que se bancar com o próprio dinheiro para tentar chegar numa olimpíada, o que não é pouco, além de torcer pra televisão ter interesse na transmissão da modalidade e, só assim, pode ser que alguém de interesse. Minhas chances de ir às olimpíadas, infelizmente, são bem pequenas, pois para estar na seleção que participará desse evento, calculei um gasto médio anual de 40 mil reais para bancar algumas viagens internacionais e poder se manter numa boa colocação no ranking mundial. E esse valor são poucos caratecas no país que tem acesso”.

Além de atleta profissional, Jean é formado em educação física pela Universidade de Guarulhos com licenciatura e bacharelado e dá aulas de caratê para crianças em três escolas e uma academia. “Isso me ajuda a manter o treinamento da parte tradicional do caratê e não deixar o esporte sobrepor a parte tradicional”, diz. Além disso, Jean também é professor de educação física em um colégio e personal Trainer.

Uma curiosidade é que Medrado ainda tem tempo para se dedicar a outro esporte: “Sou wide receiver (futebol americano) do Corinthians Steamrollers. Pratico o esporte há sete anos e, mesmo algumas pessoas duvidando, consigo conciliar muito bem os treinamentos, já que os dois esportes envolvem muita velocidade e explosão, bons reflexos e precisão. Praticarf futebol americano também me auxilia nas redes sociais para promover meu trabalho e meus esportes, já que é uma modalidade que chama a atenção e o nome Corinthians tem um grande peso”.

Jean se classificou para o Mundial de Caratê IKGA 2017, que acontece no Canadá de 28 de setembro a 1 de outubro e busca apoio para levantar a verba necessária para atuar na competição. “Como atleta eu tenho apoiadores que me auxiliam com suplementação, dieta e fisioterapia e recebi o incentivo de bolsa atleta do governo federal por alguns anos mas, ainda assim, não dá conta de bancar os gastos de viagem, hospedagem, alimentação, etc”, comenta.

Esta é a quarta vez que Jean recebe convocação para um Mundial, mas ainda não conseguiu participar de nenhum por falta de apoio. Por isso, resolveu lançar uma campanha de crowdfounding pela primeira vez para conseguir a verba necessária.

Quem estiver interessado em ajudar este vitorioso e dedicado atleta brasileiro pode contribuir com qualquer quantia através deste link.

Imagens: arquivo pessoal

, , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *