JOHNSON AVASSALADOR

O jeito discreto contrasta com os números dominantes de Demetrious Johnson.

Único campeão do peso-mosca na história do Ultimate, o americano igualou, na noite deste sábado (15), na luta principal do “UFC:

Johnson X Reis”, em Kansas City (Estados Unidos), o recorde de Anderson Silva de defesas de cinturão.

O triunfo sobre Wilson Reis por finalização com uma bela chave de braço aos 4m49s do terceiro round foi o décimo colocando seu título em jogo, mesmo número que apenas Spider ostentava na organização até este dia.

Johnson já era o campeão mais dominante do UFC na atualidade e agora pode se orgulhar também de ser o mais dominante da história da organização, ao lado de Anderson.

No cartel, são 26 vitórias, duas derrotas e um empate. São 12 resultados positivos consecutivos.

A divisão até 57kg parece não ter adversários para ele.

– É muito especial.

Foi uma ótima noite.

No treinamento, me disseram para eu ser eu mesmo, e foi o que fiz.

Nunca me senti tão bem quanto nesse camp.

Anderson Silva e GSP são grandes campeões, mas eu sou o melhor campeão que já pisou no octógono – disparou o Mighty Mouse.

Wilson Reis teve interrompida uma sequência de três triunfos e perdeu pela sétima vez na carreira, além de ter 22 vitórias.

Wilson começou tentando pressionar, mas não é fácil encurralar o campeão.

A movimentação incessante e o tempo de entrada e saída impressionam, apesar de não ser mais surpresa a esta altura.

O desafiante buscava a luta, mas tinha dificuldade de entrar no raio de ação.

Aproveitando um chute baixo, o brasileiro marcou o tempo e derrubou, mas Johnson ficou de pé rapidamente e usava os chutes para controlar a distância, além de rápidas combinações.

Wilson tentou um double leg e quase levou para baixo, mas o campeão é completo e rechaçou a investida.

O desafiante seguiu em sua caça atrás de Demetrious.

Um clinche no início deu esperança de que a queda viesse posteriormente, mas o Mighty Mouse se desvencilhou e, pouco depois, quase conseguiu a queda ao dominar as costas do brasileiro, que também conseguiu se livrar.

Na trocação, Johnson não era contundente, mas era eficiente e claramente mais rápido.

Ele voltou a pegar as costas de Wilson, que deu uma cambalhota para sair.

O brasileiro marcou o tempo de um chute para conectar boa esquerda no rosto do campeão, que respondeu com jabs e um direto de direita.

Johnson ficava cada vez mais confortável na luta, conectando combinações precisas.

O rosto do desafiante já estava bastante machucado e uma joelhada de encontro na linha de cintura levou Wilson ao solo.

Demetrious castigou no ground and pound, mas o cronômetro zerou, impedindo o nocaute no segundo round.

Enfrentar Demetrious Johnson é difícil demais.

Faltam brechas no jogo do campeão.

Wilson tentava de tudo.

Buscava quedas, jogava golpes, a maioria no vazio, e caminhava em direção ao rival sem medo.

Mas Johnson é cirúrgico em tudo que faz dentro do octógono.

Mesmo com a clara superioridade em pé, o americano sentiu um bom momento para derrubar e passou a guarda de um faixa-preta de jiu-jítsu com enorme facilidade.

Ele desferiu cotoveladas da posição de 100kg, e Wilson conseguiu colocar a guarda e apoiar os pés na virilha para tentar afastar.

Johnson ganhou a meia-guarda e voltou a estabilizar a posição no solo.

Outra série de golpes no ground and pound e uma transição espetacular para a chave de braço forçaram Wilson Reis a dar os três tapinhas.

A história estava feita.

UFC Fight Night

15 de abril, em Kansas City (Estados Unidos)

CARD PRINCIPAL:

Demetrious Johnson venceu Wilson Reis por finalização aos 4m49s do R3

Rose Namajunas venceu Michelle Waterson por finalização aos 2m47s do R2

Robert Whittaker venceu Ronaldo Jacaré por nocaute técnico aos 3m28s do R2

Renato Moicano venceu Jeremy Stephens por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)

CARD PRELIMINAR:

Alexander Volkov venceu Roy Nelson por decisão unânime (triplo 30-27)

Tom Duquesnoy venceu Patrick Williams por nocaute técnico aos 28s do R2

Rashid Magomedov venceu Bobby Green por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)

Tim Elliott venceu Louis Smolka por decisão unânime (triplo 30-27)

Aljamain Sterling venceu Augusto Tanquinho por decisão unânime (triplo 29-28)

Devin Clark venceu Jake Collier por decisão unânime (30-27, 30-27 e 30-26)

Anthony Smith venceu Andrew Sanchez por nocaute técnico aos 3m52s do R3

Zak Cummings venceu Nathan Coy por finalização aos 4m21s do R1

Ketlen Vieira venceu Ashlee Evans-Smith por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27)

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *