Inesquecível

Passaram-se 21 anos e quem se esquece de Ayrton Senna? Eu não!

Gênio, dedicado, obstinado pela vitória, esse era o meu, o seu, o nosso Ayrton Senna do Brasil.

Eu comecei a entender um pouquinho do que era Fórmula 1, no ano de 1993, quando o tri-campeão brasileiro ainda estava na equipe Mclaren. No seguinte, Senna já pilotando a Williams, morreria em um acidente na curva Tamburello, em Ímola, na Itália

Eu lembro que estava em uma quadra jogando bola, porém, parei para assistir a corrida. Vi o momento da batida na voz de Galvão Bueno “Senna bateu forte. Senna bateu forte”. Pensava comigo que poderia ser apenas um susto, mas não foi. Horas depois, Ayrton Senna foi declarado morto.

Me recordo a comoção que se deu aqui no Brasil e, talvez, no mundo inteiro.

A passagem do caixão de Senna pelas ruas da cidade de São Paulo, desde quando desembargou no Brasil, foi uma coisa surreal. Trânsito totalmente parado, pessoas que certamente deixaram o seu serviço para acompanhar o cortejo ou para ver do alto do escritório de trabalho, a passagem daquele que foi um grande ídolo brasileiro. Todo esse “caos” foi compreensivo.

Até hoje, vendo algumas cenas como aconteceram na comemoração de 50 anos da TV Globo, me emociono com o dia da morte de Senna.

Aí você pensa. E se Ayrton não tivesse morrido? Schumacher seria o Schumacher? Senna teria conseguido o sonho de pilotar pela Ferrari? E se? E se? Pois é, meu amigo, o SE não faz história. Porém, o genial Ayrton Senna fez história desde quando começou a correr.

Após sua morte, muitas coisas mudaram na Fórmula 1. Segurança aumentou, entre outras coisas.

Infelizmente com a morte de Senna, Rubens Barrichello, que já era um novato na Fórmula 1 e, posteriormente, Felipe Massa, tiveram um farto para carregar, o de ser o novo ídolo de nós brasileiro. Não conseguiram. Não por não terem talento, mas por talvez não serem tão completos como esportistas e com personalidades fortes como Ayrton foi.

1º de maio de 1994, o dia que ficou para história, o dia em que perdemos o nosso ídolo.

“Seja quem você for, seja qual a posição social que você tenha na vida, a mais alta ou a mais baixa, tenha sempre como meta muita força, muita determinação e sempre faça tudo com muito amor e com muita fé em Deus, que um dia você chega lá. De alguma maneira você lá.”

by Ayrton Senna da Silva

senna1 senna2

, , , , ,

About José Rodolfo Pereira

View all posts by José Rodolfo Pereira →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *