GRÊMIO VENCE E CHAPE TROPEÇA NO URUGUAI

Se existia alguma dúvida sobre como o Grêmio reagiria após a eliminação na semifinal do Gauchão, ela foi prontamente atendida em menos de 30 minutos.

Principalmente pelo brilho de Lucas Barrios. Mesmo que Léo Moura tenha feito um gol contra, o time atropelou o Guaraní (Paraguai) na noite desta quinta-feira (27), na Arena.

Com três gols do gringo, o Tricolor fez 4 a 1 e isolou-se na liderança do Grupo 8 da Libertadores. Somente uma catástrofe elimina os gaúchos na primeira fase.

As expulsões de Luiz Otávio e Rossi por atitudes agressivas e o uniforme intacto do goleiro Conde ao término dos 90 minutos ajudam a decifrar a razão da Chapecoense ter sido presa são fácil no Parque Central, em Montevidéu.

O Nacional não demonstrou um primor de futebol. Longe disso, na verdade.

Mas fez o suficiente para fazer 3 a 0, nesta quinta-feira, pela quarta rodada do Grupo 7 da Libertadores.

Os uruguaios até fizeram uso da tão falada catimba.

O resultado, construído com gols de Ramirez, Aguirre e Viudez, porém, foi conquistado por terem conseguido fazer algo que os ansiosos brasileiros raramente conseguiram em Montevidéu: colocar a bola no chão.

Com uma dura derrota para o Nacional (Uruguai) por 3 a 0, a Chapecoense ficou na torcida para o Zulia contra o Lanús para continuar sonhando com a classificação no Grupo 7 da Libertadores.

E o empate em 1 a 1 foi bom, mas poderia ter sido ainda melhor, não fosse a falta de pontaria dos venezuelanos.

Os donos da casa abriram o placar com o lateral Rivillo, se aproveitaram do gramado pesado e o desgaste físico dos argentinos para criar inúmeras chances, mas acabaram cedendo o empate no segundo tempo, num belo chute de José Sand.

Não foi preciso nem mesmo uma grande atuação para o Godoy Cruz retomar a ponta do Grupo 6 da Libertadores.

Com tranquilidade, o time argentino aproveitou as falhas do Sport Boys (Bolívia), venceu por 3 a 1 em Santa Cruz de La Sierra, e se mantém na liderança da chave do Atlético-MG na competição. Ángel González, Garro e Giménez marcaram os gols da equipe argentina, e Córdoba fez para os donos da casa, que estão praticamente eliminados do torneio.

Com 10 pontos em quatro jogos, o time de Mendoza encaminha a sua vaga à próxima fase.

Um gol logo no primeiro minuto deu a impressão de que o Emelec poderia tirar os primeiros pontos do River Plate nesta edição da Libertadores.

Mas o time de Marcelo Gallardo não se abateu, equilibrou a partida em Guayaquil e empatou ainda no primeiro tempo com Jorge Moreira.

Na segunda etapa, quando o goleiro Batalla era o destaque, um erro da defesa equatoriana terminou no gol do Alario que garantiu a vitória por 2 a 1 para os Millonarios, que seguem com 100% de aproveitamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *