Goiás já é nono com um jogo a menos

Goiás aproveita vantagem numérica, bate a Chapecoense e sobe na tabela.

Com dois gols de pênalti de Kayke e um gol de Jefferson, time goiano vence no Serra Dourada e pula para a parte de cima.

Chapecoense, que fazia bom jogo, fica sem forças após expulsão de Bruno Pacheco.

O Goiás aproveitou o mando de campo e o fator numérico para conquistar importante vitória no Campeonato Brasileiro.

Nesta segunda-feira (10), no encerramento da oitava rodada, o time goiano bateu a Chapecoense por 3 a 1, com dois gols de pênalti de Kayke e um gol de Jefferson, e subiu na tabela da Série A.

A vitória foi construída após expulsão direta de Bruno Pacheco aos 19 minutos do segundo tempo, fato que desequilibrou a partida.

A Chapecoense, que marcou com o zagueiro Rafael Pereira, está perto da zona de rebaixamento.

O Goiás, com um jogo a menos, sobe para a nona colocação, com 12 pontos.

A Chapecoense fica à beira da zona de rebaixamento, com 7 pontos.

As duas equipes ainda fazem mais um jogo antes da pausa para a Copa América.

Na quinta-feira (13), o Goiás receberá o Athletico-PR, às 20 horas (horário de Brasília).

No mesmo horário, a Chapecoense jogará em casa contra o Fluminense.

O Goiás teve problemas logo no início da partida com a lesão no joelho do zagueiro David Duarte.

Foi substituído aos cinco minutos e deu lugar a Rafael Vaz, que não entrou bem.

Foi em cima de Vaz que Everaldo, o nome do primeiro tempo, ganhou a bola e quase abriu o placar aos 11 minutos primeiro tempo, Yago travou na hora certa.

O time goiano ainda chegou em chutes de fora da área de Leandro Barcia e Michael.

O gol saiu aos 29 minutos primeiro tempo.

Léo Sena dividiu com Márcio Araújo dentro da área.

Após consulta ao árbitro de vídeo, Igor Júlio Benevenutto assinalou pênalti, convertido por Kayle: 1 a 0 Goiás.

Em desvantagem, a Chape melhorou e chegou ao merecido empate aos 44 minutos primeiro tempo.

Após cobrança de falta de Camilo, Rafael Pereira subiu mais alto e marcou de cabeça: 1 a 1.

O segundo tempo continuou equilibrado e com muitos erros de passe e perdas de bola.

Em um desses lances, Camilo ganhou de Yago Felipe e tocou para Campanharo.

Chutou cruzado e esbarrou na marcação de Rafael Vaz.

O Goiás respondeu na mesma moeda. Michael fez ótima jogada, foi derrubado, e a bola sobrou para Kayke.

O atacante acionou Jefferson, que estava livre dentro da área e perdeu grande oportunidade ao driblar o goleiro e acertar o zagueiro Gum.

Aos poucos, Michael foi chamando a responsabilidade, até que aos 19 minutos do segundo tempo, recebeu falta dura de Bruno Pacheco.

O lateral da Chape foi expulso de forma direta. Ernandes, que entrou na vaga de Camilo para preencher a lateral-esquerda, quase virou para a Chapecoense aos 27 minutos do segundo tempo, porem, chutou em cima do goleiro Tadeu.

Depois de ter perdido ótima oportunidade, Jefferson recebeu bom passe de Giovanni Augusto na entrada da área e bateu cruzado.

O goleiro Tiepo ainda se esticou, mas não pôde evitar o belo gol do lateral esmeraldino.

Aos 45 minutos do segundo tempo, Jefferson cruzou, a bola bateu no braço de Gum, e o árbitro marcou pênalti.

Kayke converteu mais um e deu números finais: 3 a 1 Goiás.

Aos 29 minutos do primeiro tempo, Léo Sena invadiu a área, dividiu com Márcio Araújo, e a marcação foi de tiro de meta.

No entanto, o árbitro de vídeo recomendou que o juiz da partida, Igor Júlio Benevenutto, revisasse o lance.

Depois de seis minutos e de fazer a revisão, o árbitro marcou pênalti, convertido por Kayke.

Comentarista de arbitragem do Grupo Globo, Sálvio Spinola foi acionado e considerou lance normal.

Segundo ele, não houve imprudência e nem ação faltosa de Márcio Araújo em cima de Léo Sena.

O técnico Claudinei Oliveira queimou duas substituições logo no primeiro tempo.

A situação mais grave parece ser a de David Duarte, que deixou a partida aos cinco minutos após choque com Everaldo.

A suspeita é de lesão no joelho esquerdo.

Aos 39 minutos do primeiro tempo, Léo Sena sentiu a parte posterior da coxa direita e também deixou o campo.

Aos 19 minutos, Bruno Pacheco cometeu falta violenta em Michael e recebeu cartão vermelho.

Antes da partida, o atacante Michael foi presentado com uma placa pelos 100 jogos com a camisa esmeraldina.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *