GALO COMEÇA A DECISÃO EM CASA

Na manhã desta sexta-feira (4) foi realizado na sede da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) o sorteio da final da Copa do Brasil.

Grêmio e Atlético-MG chegaram a final depois de eliminarem Cruzeiro e Internacional respectivamente.

O Grêmio tentará o quinto título (1989, 1944, 1997 e 2001), e o Galo a segunda conquista (2014).

O time gaúcho chegou pela oitava vez a final, além dos quatro títulos, foi vice-campeão em 1991, 1993 e 1995.

As duas equipes entraram na fase de oitavas de final, pois representaram o futebol brasileiro na Taça Libertadores da América.

O Grêmio eliminou Atlético-PR (Oitavas de Final), Palmeiras-SP (Quartas de Fina) e o Cruzeiro (semifinais).

O Atlético-MG passou pela Ponte Preta-SP (Oitavas de Final), Juventude-ES

A primeira partida será dia 23 de novembro de 2016, às 21h45, em Belo Horizonte.

E no dia 30 de novembro de 2016, em Porto Alegre, também às 21h45.

O segundo jogo será na Arena do Grêmio, e a primeira partida será definido pelo Atlético-MG no Estádio Independência ou no Mineirão.

Atlético-MG e Grêmio só entraram nas oitavas da Copa do Brasil, já que disputaram a Taça Libertadores desta temporada.

No primeiro confronto, o Galo passou pela Ponte Preta, após empate por 1 a 1, no Mineirão, e uma igualdade de 2 a 2, em Campinas. Já o Tricolor gaúcho teve pela frente o Atlético-PR.

Em Curitiba, o time de Renato Gaúcho venceu por 1 a 0, mas foi derrotado pelo mesmo placar em Porto Alegre. Nos pênaltis, venceu por 4 a 3.

Na fase seguinte, o Galo encarou outro gaúcho: o Juventude.

No Mineirão, venceu por 1 a 0, mesmo placar pelo qual foi derrotado em Caxias do Sul.

Nos pênaltis, venceu por 4 a 2.

Já o Grêmio encarou o Palmeiras.

Em Porto Alegre, na primeira partida, vitória por 2 a 1.

Em São Paulo, a igualdade por 1 a 1.

Antes de chegar à decisão, o Atlético-MG ainda passou pelo Internacional nas semifinais.

No Beira-Rio, venceu por 2 a 1.

No Independência, ficou no empate por 2 a 2.

O Grêmio encarou o Cruzeiro.

No Mineirão, venceu por 2 a 0, e na volta o empate sem gols valeu a vaga na final pela oitava vez na história do torneio.

Reportagem: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *