Franceses comemoram o bicampeonato

No Estádio Lujniki, em Moscou, a França venceu a Croácia pelo placar de 4 a 2 e conquistou pela segunda vez o título da Copa do Mndo.

Vinte anos após vencer o Brasil, os franceses comemoraram mais um título.

Em 1998, venceu o Brasil por 3 a 0.

São três finais nas últimas seis Copas do Mundo.

Os primeiros minutos, a Croácia ficava mais com a posse de bola e os franceses na defesa tentavam as jogadas de contra-ataque.

Mas, quem saiu na frente foram os franceses.

Griezmann cobrou a falta na área perto da segunda trave.

Varane subiu, tentou o desvio, mas não alcançou a bola, que tocou na cabeça de Mandzukic e foi direto para o ângulo do goleiro Subasic.

França 1 a 0, aos 17 minutos do primeiro tempo.

A Croácia não sentiu e Modric quase empatou numa grande jogada.

Pogba teve a chance de ampliar para a França, mas a bola passou muito perto do gol de Subasic.

Jogo muito aberta, e a Croácia chegou ao empate.

Modric começou a jogada fez o cruzamento.

Vrsaljko subiu e escorou para o meio.

Mandzukic disputou pelo alto com Pogba e Rebic também desviou.

Vida ficou com a bola e tocou em Perisisc, que limpou Kanté com o pé direito e soltou uma bomba com pé esquerdo.

A bola desviou em Varane e foi para o fundo das redes.

A Croácia chegou ao empate aos 27 minutos do primeiro tempo.

A partida ficou melhor para os croatas.

E outra vez o VAR entrou em cena.

Muita reclamação dos franceses, fizeram com que o árbitro fosse ver a jogada e confirmou o pênalti.

Griezmann cobrou deslocando o goleiro Subasic no canto esquerdo e marcou.

França 2 a 1, aos 38 minutos do primeiro tempo.

Rebic teve mais uma chance para os croatas e Rebic chutou forte e o goleiro Lloris fez a defesa.

Rakitic e Vida assustaram a defesa francesa.

Primeiro tempo terminou com a vitória parcial por 2 a 1.

O segundo tempo voltou com a Croácia pressionando.

Vrsaljko e Rebic que fizeram o goleiro Lloris para trabalhar.

A França respondeu com Griezmann, com boa defesa do goleiro Subasic.

Mbappé puxou o contra-ataque, passou pela defesa e chutou, mas o goleiro Subasic fez a defesa.

Aos 7 minutos do segundo tempo, houve a invasão de campo de três torcedores.

Que não chegou nem perto da grande partida.

E a França chegou ao terceiro gol com Pogba.

Pogba lançou Mbappé que foi a linha de fundo e cruzou para a área.

Griezmann dominou e rolou em Pogba que chegou chutando para marcar.

França 3 a 1, aos 13 minutos do segundo tempo.

A França continuou atacando e ampliou o placar em 4 a 1, aos 19 minutos do segundo tempo.

Hernández começou a jogada pelo lado esquerdo.

Passou pela marcação de Mandzukic e tocou no meio para Mbappé.

Que dominou e chutou forte, sem defesa para o goleiro Subasci.

França 4 a 1.

Os croatas mesmo cansados pelas três prorrogações.

Não desistiram.

Varane recuou a bola para o goleiro Lloris, que, sozinho, segurou a bola e tentou driblar Mandzukic.

O croata chegou para a dividida e recuperou a bola, que foi direto para a linha de fundo.

A Croácia chegou ao segundo gol, aos 23 minutos do segundo tempo.

Rakitic teve a chance de marcar o terceiro gol para a Croácia.

A partida ficou muito equilibrada.

Com chances para os franceses e croatas.

A Croácia rodava a bola de um lado para o outro, mas não tinha força para infiltrar na defesa francesa.

Por sua vez, os franceses eram muito perigosos no contra-ataque.

E a final terminou com a vitória francesa.

Final, França campeão 4 Croácia vice-campeão 2.

A grande surpresa da cerimônia de abertura nem foi a presença de Ronaldinho Gaúcho, que foi anunciada pela FIFA antes da decisão.

Mas a maneira como ele apareceu, tocando percussão e acompanhando a cantora russa Aida Garifullina na tradicional canção local “Kalinka”.

Prêmios da FIFA:

O meia Luka Modric foi escolhido pela FIFA como o melhor jogador da Copa do Mundo de 2018.

O francês Kylian Mbappé levou o troféu de revelação, e o belga Thibaut Courtois foi escolhido o melhor goleiro.

Com este título, o francês Didier Deschamps se igualou a Mário Jorge Lobo Zagallo e Franz Beckenbauer como campeões tanto como atletas e como treinadores.

O brasileiro foi campeão como jogador em 1958 e 1962, e como treinador em 1970.

O alemão carregou a taça em 1974, como jogador, e em 1990, como técnico.

Desde a Copa de 1958, que terminou 5 a 2 para o Brasil em cima da Suécia, que uma final de Copa não tinha tantos gols em 90 minutos.

Embora em 1966 a Inglaterra tenha vencido a Alemanha pelo mesmo placar de 4 a 2, dois gols ingleses saíram na prorrogação.

O resultado iguala as finais de 1930 (Uruguai 4 X 2 Argentina) e 1938 (Itália 4 X 2 Hungria).

Reportagem: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *