Flamengo na frente do NBB

Flamengo segura a força de Fuller, derrota o Corinthians e fica em vantagem nas quartas do NBB (Novo Basquete Brasil).

Jogo 2 da série melhor de cinco será na quarta-feira, dia 17 de abril, às 20 horas (horário de Brasília), no Rio de Janeiro.

Encontro das Nações, Clássico do Povo… chame como quiser.

Mas, o fato é que o dérbi que atrai multidões das duas maiores torcidas do Brasil no futebol chegou ao mata-mata do Novo Basquete Brasil.

Neste sábado (13), no Ginásio Wlamir Marques, em São Paulo, Flamengo e Corinthians duelaram pelo jogo 1 da série melhor de cinco das quartas de final da competição.

E com 22 pontos do pivô Nesbitt, o Rubro-Negro venceu por 92 a 73.

O próximo encontro entre os times será na quarta-feira, dia 17 de abril, às 20 horas (horário de Brasília), no Ginásio do Tijuca Tênis Clubes, no Rio de Janeiro.

Cinco jogadores do Flamengo fizeram dois dígitos em pontos.

Além de Nesbitt, Olivinha, Varejão, Marquinhos e Deryk fizeram 16 e 10, respectivamente.

Pelo lado do Corinthians, Fuller foi o cestinha da partida.

O armador anotou 25 pontos. Parodi também se destacou com 16 pontos.

O duelo entre Flamengo e Corinthians é inédito na fase de playoffs do NBB e, na temporada atual, o Rubro-Negro venceu os dois encontros que tiveram (um, no Rio de Janeiro, por 72 a 64, e o outro, em São Paulo, por 91 a 68).

Devido a falta de estrutura nos locais dos jogos, ficou acordado entre os times que o clássico nas quartas de final será de torcida única.

No Ginásio Wlamir Marques, em São Paulo, somente torcedores do Timão estiveram presentes.

Flamengo e Corinthians entraram nervosos em quadra.

Fuller foi o único que pareceu não sentir o peso do clássico de camisa.

Com a sua habitual disposição, foi fundamental para o time da casa sair em vantagem no primeiro quarto: 22 a 20.

Olivinha e Nesbitt cresceram muito na partida e botaram o Flamengo na liderança do placar.

As bolas jogadas dos pivôs dentro do garrafão ajudaram o time visitante a seguir para o vestiário com 42 a 40.

O show no terceiro quarto foi dos armadores.

Parodi assistiu Teichmann e Giovannoni, enquanto Balbi serviu Marquinhos e Varejão.

O ritmo acelerado favoreceu ao Flamengo, que conseguiu abrir a vantagem: 65 a 59.

Jhonatan foi chamado pelo técnico Gustavinho no último quarto e converteu duas bolas de três seguidas.

Após descer de um rebote, Giovannoni pisou no pé de Olivinha e saiu carregado de quadra.

Dentro dela, Fuller corria para tentar manter o Corinthians no jogo.

Mas a vitória do Flamengo já estava garantida: 92 a 73.

Mogi vence o Basquete Cearense em Fortaleza e sai na frente nas quartas de final do NBB.

Em duelo equilibrado, equipe conta com noite inspirada de JP Batista e Gruber para vencer o duelo contra a equipe do Nordeste e abrir 1 a 0 na série melhor de cinco.

Mogi das Cruzes deu o primeiro passo em busca da classificação para as semifinal do NBB.

Jogando diante de grande público, no Centro de Formação Olímpica, em Fortaleza, a equipe fez um jogo equilibrado contra o Basquete Cearense, mas segurou a pressão do adversário, foi superior nos minutos finais e garantiu a vitória na partida de abertura da série de quartas de final por 77 a 69.

O cestinha da partida foi o ala-pivô Felipe, do Basquete Cearense, com 19 pontos.

Pela equipe vencedora, o principal destaque foi o pivô JP Batista, que anotou um duplo-duplo, com 18 pontos e 13 rebotes (um total de 27 de eficiência).

Gruber também se sobressaiu com 14 pontos, 9 rebotes e 21 de eficiência, e Shamell anotou 16 pontos.

Com a vitória, a equipe comandada pelo técnico Guerrinha abre uma vantagem importante no duelo, uma vez que as próximas duas partidas serão em Mogi das Cruzes.

A primeira delas está marcada para sexta-feira (19), às 21h10 (horário de Brasília), no Ginásio Hugo Ramos.

O Basquete Cearense começou a partida com vantagem.

Jogando ao lado de sua torcida e embalado pela classificação diante do atual campeão do NBB, o Paulistano, o Carcará teve um aproveitamento ofensivo melhor do que o Mogi nos primeiros minutos e logo abriu diferença (13 a 4).

A equipe do técnico Guerrinha sentia a falta de ritmo, já que se classificou direto para as quartas de final e ficou alguns dias sem jogar.

A falta de rendimento, obrigou o comandante da equipe de Mogi a pedir tempo, e a pausa deu resultado.

Os mogianos conseguiram melhorar em quadra e encostaram no marcador (15 a 13).

A partir daí, o duelo foi equilibrado, tanto que o primeiro quarto terminou com pequena vantagem dos donos da casa: 18 a 15.

No segundo período, o Basquete Cearense tentou ampliar, mas o Mogi fechou a marcação e dificultou bastante a vida dos donos da casa .

Com a defesa melhor, o ataque também fluiu com mais facilidade.

Gruber desequilibrou para os mogianos, que passaram a dominar a partida e logo viraram o placar (21 a 20).

O time visitante seguiu consistente em quadra.

Prova disso, é que com quatro minutos jogados, Mogi já tinha 12 a 3 no placar no período.

Aí foi a vez do treinador Danyel Russo parar o jogo.

A pausa até teve um efeito imediato, e a diferença que era de sete pontos, caiu para apenas um (27 a 26).

Só que a aproximação não intimidou o time de Mogi, que seguiu bloqueando os espaços do Basquete Cearense, e contou também com a eficiência de JP Batista para fechar o segundo quarto com a vitória parcial: 35 a 28.

O Basquete Cearense voltou do intervalo determinado a reverter a situação.

Com destaque para a boa participação de Alex (9 pontos no quarto), o time foi, aos poucos, tirando a diferença e se aproximou com bastante perigo do Mogi.

O time visitante não ficava atrás.

Apesar de terem perdido a vantagem, os mogianos contavam ainda com JP Batista inspirado para seguirem na dianteira.

No final do terceiro quarto, a diferença entre os times era mínima e o duelo foi para os minutos finais completamente aberto: 51 a 48.

No último quarto, Felipe tentou puxar o time da casa para a vitória.

Empurrado por sua torcida, o Carcará teve um bom momento, e por diversas vezes viu a chance de reverter o placar muito próxima.

Só que do outro lado o time de Mogi das Cruzes não baixou a guarda.

Com um bom trabalho defensivo e mais intensidade no ataque, o time conseguiu diminuir o poder ofensivo dos donos da casa (apenas 35% de aproveitamento no quarto) e aproveitou as oportunidades com precisão, especialmente com Shamell (segundo cestinha do Mogi na partida com 16 pontos, 8 no último quarto) para abrir vantagem.

Faltando um minuto para o fim, a diferença ficava sempre perto dos dez pontos.

O Basquete Cearense tentou reagir, mas os mogianos jogaram com estratégia e administraram com tranquilidade o final do jogo para conquistarem a primeira vitória na série quartas de final: 77 a 69.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *