Finalmente saiu “La Decima”

cibeles-casillas-decima--644x362

Finalmente chegou ao fim a obsessão, perseguição, impertinência… CHATICE da busca por “La Decima”. Pela primeira

Não foi dessa vez, placenta!
Não foi dessa vez, placenta!

vez, dois times da mesma cidade decidiram o campeonato de clubes mais importante da Europa. O primo pobre, que veio de uma temporada exuberante, com direito a título nacional e tudo, apelou até a placenta de égua. Não foi dessa vez, infelizmente.

O primo pobre começou melhor, explorando os erros do primo milionário. Diego Costa, que foi o centro das atenções na semana por conta de seu tratamento exótico, pediu para sair aos 9 minutos. Isso prova que placenta, seja ela de égua, unicórnio, hidra, cérbero, ou qualquer outro animal mitológico que virou armadura nos Cavaleiros do Zodíaco, não serve para nada, além de chamar a atenção formar e alimentar os fetos.

Numa bola parada, para delírio de Muricy Trabalho, Casillas saiu bizonhamente do gol e Godín, zagueiro responsável pelo gol do título espanhol, marcou. A partir daí o primo rico precisava jogar mais. Bale, mais conhecido por nós do Esquema de Jogo como CEM MILHÃO, cansava de perder gols incríveis. Cristiano Ronaldo, indiscutivelmente o melhor jogador do ano e da Liga, não conseguiu fazer uma jogada contra o sólido sistema defensivo armado por Diego Simeone.

Godín comemora seu gol
Godín comemora seu gol

No segundo tempo, o torcedor do Atlético que ainda tinha unhas depois da nervosa temporada que chegava ao fim, com certeza deixou as pontas dos dedos em carne viva. O Real Madrid partiu pra cima e coube ao Atlético se defender ainda mais. E assim o fez, de maneira brilhante. Até os 47 minutos do segundo tempo, quando o iluminado Sérgio Ramos, que já havia classificado o Real contra o Bayern, fez o gol que levaria o milionário time merengue à prorrogação. É bem verdade que a escalação e as alterações feitas por Simeone, o “Cholo” foram uma catástrofe. Mas, como diria algum engraçadinho, “O CHOLO É LIVLE”. Aí aconteceu o óbvio. Quem teve mais perna e mais talento venceu, apesar de eu achar 4 a 1 muito pelo que foi o jogo. Mas o futebol tem dessas, né? Bale (depois de umas mil tentativas) “recuperou o investimento” do Real. Depois Marcelo e o sumido CR7 completaram o placar.

O Atlético, ao meu ver, não perdeu apenas pela clara superioridade técnica do adversário. Perdeu pelo desgaste que um elenco limitado sofreu em uma brilhante temporada de superação, perdeu por lesões de seus dois principais jogadores (Diego Placenta Costa e Arda Turan) e, sobretudo, perdeu por equívocos de seu treinador, que mesmo assim, tem muito crédito por ano a ano, tirar leite de pedra, e inserir o Atlético no rol dos grandes clubes da Europa.

Casillas levanta LA DECIMA
Casillas levanta LA DECIMA
, , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *