Fim de Semana Esportivo foi MUITO além dos “potentes” estaduais

Tá, tá. Começaram os maravilhosos Campeonatos Estaduais pelo Brasil. Campos com grama alta o suficiente para abrigar cobras, ratos, tatus, escorpões e tudo mais. Estádios bucólicos, confusões de torcidas, ingressos caros, e bla bla bla. Esqueçam tudo isso por um minuto, e vamos tentar não cair na monotemática rotina dos veículos esportivos do Brasil. Pelo menos boa parte deles. O fim de semana foi MUITO, muito além dessa potência toda de futebol em Penápolis, Governador Valadares ou Moça Bonita.

Djokovic bate Murray e vence o primeiro Grand Slam do ano:

Murray e seu olhar de ternura para o campeão
Murray e seu olhar de ternura para o campeão

No primeiro Grand Slam do ano, o sérvio Novak Djokovic venceu e irritou o britânico Andy Murray por 3 sets a 1 e faturou o Aberto da Austrália de 2015. Teve até pneu aplicado (quando um set termina 6 a 0).

Em 3h39min de uma bela partida na madrugada de sábado para domingo, o rei do carisma aplicou até pneu no adversário, que visivelmente irritado, gritou, xingou, esperneou e até atacou uma raquete no chão durante o confronto.

Nada disso foi o bastante para evitar o tetra-vice do britânico e o quinto do sérvio, que agora é o maior vencedor do torneio na era aberta do tênis, com 5 conquistas. Dúvida: O único Grand Slam que Djoko não venceu é Roland Garros. Esse ano vai?

Esperamos que sim.

 

SuperBowl XLIX: Espetáculo esportivo e artístico

Kate Perry simplesmente voou no intervaalo do Super Bowl
Kate Perry simplesmente voou no intervalo do Super Bowl (foto: Reuters)

Longe de mim querer empurrar cultura norte-americana para vocês. Os mais exaltados podem me acusar de babar ovo para americano, então vou deixá-los em paz com suas coca-colas, Big Macs e Calças Jeans. Até porque, eu não sou o responsável por essa editoria no Esquema de Jogo. Sou apenas um curioso que, de tanto ler os posts do Estiva nas Redes Sociais, tentou entender essa bagaça.

Mesmo não entendendo quase nada, o evento em si chamou minha atenção. Buscarei mais informações na próxima temporada, acompanhando-a desde o início. Caras que montam e desmontam um palco para uma produção artística gigantesca em questão de minutos, merecem minha atenção. O intervalo teve uma espetacular apresentação de Kate Perry minha nossa senhora, o que foi aquilo?, com a participação de outros artistas, como Lenny Kravits, cuja atuação foi tão relevante quanto a passagem de Ricardinho pelo São Paulo.

A moça entrou num Tigre gigantesco, de causar inveja à Unidos da Tijuca, Beija-Flor de Nilópolis, etc. O animal gigante se desfez em segundos e pareceu porcaria quando a dita cuja saiu voando pela Arena Arizona numa espécie de Drone bombado com algumas estrelas. Enfim, isso foi só para ressaltar a megalomania que torna o Super Bowl, um dos eventos mais adorados do Mundo, especialmente por pessoas “modinhas” como eu.

Lance que definiu a partida (foto: Reuters)
Lance que definiu a partida (foto: Reuters)

Dentro da esfera esportiva da coisa, um jogo que agradou até quem não entende do negócio. De um lado estava o time do melhor quarterback e marido da Giselle: Tom Brady, comandando o New England Patriots, acusado de ser um time trapaceiro por conta de bolas esvaziadas de propósito na semifinal. Do outro lado, um Seattle Seahawks embalado por uma vitória alucinante na prorrogação contra o Goiás Green Bay Packers e com um quarterback que vem ganhando destaque a cada jogo: Russel Wilson.

De virada, após uma jogada equivocadíssima dos Seahawks, deu Patriots, dando fim à maldição Giselle Bunchen, que assombrava todos os companheiros da Top Model Brasileira. Nenhum deles ganhou nada depois de se envolver com ela. Coube a Brady dar um fim a essa história, após o vice-campeonato de 2014.

Acabou a Maldição Bunchen (foto: AFP)
Acabou a Maldição Bunchen (foto: AFP)

Sem zebra no Handeball: França conquista o Mundial Masculino

Você pode não estar sabendo, mas estava rolando o Mundial Masculino de Handeball, no Catar. E a seleção locl chegou à final, surpreendentemente. Foi a primeira vez que uma equipe não européia chegou entre os 3 primeiros colocados. Com o placar de 25 a 22, os franceses conquistaram seu 5º título Mundial.

Red Bull apareceu camuflada para os primeiros testes de 2015

Vale tudo para esconder as novidades (Fonte: Getty Images)
Vale tudo para esconder as novidades (Fonte: Getty Images)

A Red Bull Racing – não RB Racing, chupa TVG – apareceu diferente em Jerez, nos primeiros testes da categoria para a temporada 2015. Para não dar pistas aos rivais sobre as inovações aerodinâmicas, os carros da equipe foram pintados em preto e branco, de maneira muito chamativa, o que desvia o olhar de qualquer ser humano e impossibilita análises técnicas detalhadas à distância. A expectativa para a temporada é grande na Red Bull, uma vez que correrá sem Sebastan Vettel, após anos de sucesso.

, , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *