Exclusivo: torcedores do Palmeiras rebatem declarações de Paulo Nobre sobre futsal

Por André Dipold WTV Brasil

Na manhã deste sábado (06), torcedores do Palmeiras estiveram na frente da sede do clube para protestar contra o iminente encerramento das atividades do futsal profissional e sub-20 da agremiação. O clima era de total insatisfação e inconformismo com a gestão do clube alviverde.

Na última terça-feira (2), durante a apresentação da equipe de basquete, o presidente Paulo Nobre afirmou categoricamente que todos os esportes do clube, à exceção do futebol, teriam suas atividades encerradas caso não conseguissem um patrocinador próprio. Tal declaração causou revolta entre os torcedores, que garantem que o clube conseguiria manter os esportes olímpicos mesmo sem o acerto com um patrocinador.

“Segundo informações que os diretores do Palmeiras passaram para a gente, a folha salarial do futsal sub-20 é 60 mil mensais e do profissional é 40 mil. Se um clube não tem condições de pagar 60 mil por mês, eu pergunto: onde está o dinheiro dos associados? É para pagar dívida do futebol de campo? Se o dinheiro do associado é para manter o clube, cadê o dinheiro? Se um clube não tem condições de manter um futsal com 60 mil reais por mês, tem que fechar as portas”, afirmou Ricardo Fervorini, um dos torcedores presentes na manifestação.

Imagem: WTV Brasil
Imagem: WTV Brasil

Ainda segundo Ricardo, o diretor de esportes amadores do clube, Ronaldo Faria Junior, o Dinho, garantiu aos torcedores e jogadores que o time seria mantido pelo menos até dezembro, independente de patrocínio ou não.

“Não é possível uma empresa com a marca Palmeiras não conseguir um patrocínio de 50 mil reais por mês só para manter o time até o final do ano. Depois vai-atrás de uma empresa durante o restante do ano para bancar o futsal e também reverter o dinheiro para o próprio clube. Como eles deram a palavra para nós em junho de que o futsal não acabaria até dezembro, confiamos na palavra de pessoas que se dizem homens. Infelizmente aqui no Palmeiras não tem homem que trabalhe.”

O iminente fim do futsal foi uma ducha de água fria para torcedores e atletas, que estavam empolgados com a ótima campanha do Palmeiras na Liga Paulista, onde a equipe fez ótimas atuações e foi eliminada apenas nas quartas de final para a forte equipe de Orlândia. Inclusive uma matéria divulgada no último dia 20 de junho no site oficial do clube afirmava que a equipe de futsal estava se preparando para as competições do segundo semestre, como pode ser visto no link: http://www.palmeiras.com.br/noticias/2013/06/20/16h21-id9761-apos+liga+paulista+futsal+se+prepara+para+o+segundo+semestre.shtml#.Udhft_k3sYc

“Nada oficialmente foi passado para nós. A gente foi pego desprevenido, pois estávamos nos preparando para o segundo semestre. O pessoal da diretoria está correndo atrás para que não seja encerrado os trabalhos, então a gente está se apegando na possibilidade de que isso se reverta, que pensem no lado do ser humano, que tem os seus compromissos e família para sustentar”, afirmou Erick, goleiro do time profissional de futsal, que esteve presente no protesto.

Reprodução/ Federação Paulista
Reprodução/ Federação Paulista

Inconformados, os torcedores palmeirenses estão até correndo atrás de um patrocinador para o futsal, assim como foi feito com o basquete, que por muito pouco não encerrou suas atividades e que só foi mantido graças ao patrocínio da empresa Meltex.

“Eles jogaram a responsabilidade no ar para ver se alguém abraçava, e nós abraçamos. Já que o departamento de marketing não tem competência para isso, nós estamos lutando para arrumar esse patrocínio. É difícil, porque dez dias é um tempo muito curto, mas nós estamos brigando pelo futsal. Já que eles não tem capacidade para isso, nós vamos brigar por eles”, finalizou Ricardo.

A matéria completa você acompanha no programa A Hora do Esporte, na próxima terça-feira (09), às22h30.

WTV Brasil: http://www.wtvbrasil.com.br

https://www.facebook.com/WTVBRASIL?fref=ts

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *