EGITO E CAMARÕES DA FINAL

Após três anos longe até mesmo da semifinal, o maior campeão da África está de volta a uma decisão da Copa Africana de Nações.

E não foi fácil.

O Egito venceu Burkina Faso nos pênaltis, vai disputar a sua nona final do torneio e tentará o oitavo título da competição.

Em Libreville, no Gabão, as duas seleções empataram por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, e os egípcios foram melhores nas penalidades.

Venceram por 4 a 3 com um herói: o goleiro Essam El Hadary, de 44 anos.

Os dois gols da partida saíram no segundo tempo.

O Egito saiu na frente com um belo gol de Mohamed Salah.

Aos 21 minutos do segundo tempo, o camisa 10 aproveitou bola ajeitada por Kahraba e soltou o petardo de perna direita, que entrou no ângulo de Koffi: 1 a 0.

Burkina Faso empatou pouco depois e pôs fim à marca dos egípcios, que ainda não tinham sofrido gols nesta edição da Copa Africana.

E também com um lindo gol.

Aos 28 minutos do segundo tempo, Bancé aproveitou cruzamento da direita, dominou no peito e tocou no canto direito de Essam El Hadary.

O goleiro, que tem 44 anos e foi um dos grandes nomes do futebol do país, não sofria um gol na competição desde as quartas de final de 2010.

O Egito ficou fora da competição nas últimas três edições, mas se contar os cinco jogos de 2017, El Hadary chegou a 675 minutos sem ser vazado.

O número é um recorde na Copa Africana.

O egípcio superou o goleiro camaronês Alioum Boukar.

Mas Essam não seria protagonista apenas pela marca histórica.

Com o empate também na prorrogação, a decisão foi para os pênaltis.

El Hadary pegou as cobranças do goleiro rival Koffi e de Bertrand Traoré e levou o Egito para a decisão.

Do lado vencedor do confronto, apenas Abdalla El Said errou sua cobrança.

Final, Egito classificado 1 (4) Burkina Faso eliminado 1 (3).

A seleção de Camarões precisou suar e teve um trabalho danado para retornar a uma final da Copa Africana de Nações nove anos depois.

O time de Gana foi valente e protagonizou uma partida bastante equilibrada no Estádio de Franceville, mas os gols de Michael Ngadeu-Ngadjui e Bassogog deram a vitória por 2 a 0 aos camaroneses e o direito de enfrentar o Egito na decisão que acontece no próximo domingo (5).

Um sinal de que o equilíbrio deu o tom do duelo é que o placar só foi movimentado na metade do segundo tempo.

Aos 26 minutos do segundo tempo, o goleiro Razak saiu muito mal do gol e deixou o caminho livre para o zagueiro Ngadeu fazer o primeiro para a seleção camaronesa.

Com o passar do tempo, Gana ia se atirando mais ao ataque e, por consequência, se arriscando mais.

Afinal, precisava buscar o empate. Só que, aos 48 minutos, um contra-ataque letal terminou no gol de Rassagog.

Camarões não disputava a final da competição desde 2008, quando foi derrotado pelo Egito e ficou com o vice-campeonato.

Ao todo, são seis aparições na decisão e quatro títulos (84, 88, 2000 e 2002).

A final da Copa Africana de Nações será entre Camarões e Egito.

A partida acontece no domingo, às 17 horas (de Brasília), em Libreville. Antes, no sábado, Burkina Faso e Gana decidem o terceiro lugar.

Esse jogo também acontece às 17 horas.

Esse será, aliás, o terceiro encontro entre camaroneses e egípcios na final da Copa Africana.

Nas outras duas vezes (em 1986 e 2008), o título ficou com o Egito.

Final, Camarões classificado 2 Gana eliminado 0.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *