Diego Cardoso: “Pressão da torcida e assédio da imprensa são maiores dificuldades na transição para o profissional”

 

Diego Cardoso Nogueira é mais uma joia que surge na Vila Belmiro. Aos 22 anos de idade, com grande destaque nas categorias de base santistas, o atacante defende atualmente o Vila Nova-GO por empréstimo e sonha em voltar ao Santos e retomar o sucesso que conquistou especialmente na Copa São Paulo.

Ele falou com exclusividade ao Esquema de Jogo sobre sua carreira e planos para o futuro. Confira:

– De quem foi a opção de deixar o Santos por empréstimo?

DC: A decisão foi em conjunto, optamos em ter uma sequencia de jogos e adquirir uma certa experiência para voltar melhor.

– Pretende voltar?

DC: Temos contrato e me sinto muito bem lá, pretendo sim.

– O que espera dessa passagem no Vila Nova?

DC: O Vila é um time muito tradicional com uma torcida contagiante. Espero poder ajudar bastante no decorrer desse ano, principalmente no Brasileiro da série B.

Capturare– Como é seu relacionamento com Wendell Lira?

DC: O melhor possível, ele é muito humilde e merece todo o sucesso que tem tido.

– Na sua opinião, o que falta para ele vingar no Vila Nova?

DC: Ele teve a infelicidade de se machucar e agora está tendo que buscar seu espaço. Aqui no Vila o grupo é muito unido e o Professor Rogério é muito coerente. Acredito que ele trabalhando forte e readquirindo o ritmo de jogo, em breve ele terá uma sequencia bacana.

– Você surgiu como um grande artilheiro nas categorias de base, mas fez poucos gols desde que subiu ao profissional. O que tem feito para dar a volta por cima?

DC: Pode parecer clichê, mas a palavra é uma só: Trabalho! Realmente as coisas não aconteceram como eu imaginava, mas isso faz parte da profissão e estou focado para ter a mesma sequencia da época da base como você citou.

– Qual a maior dificuldade na transição entre a base e o profissional?

DC: Muita coisa. Na base você tem seus companheiros que já lhe acompanham há anos, já no profissional você tem que saber lidar com um grupo novo, pressão da torcida, assédio da imprensa e além do nervosismo natural do processo. Mas isso eu já superei e espero provar aqui no Vila.

12733485_1012324578809618_7527008706153773394_n– Todo ano, muito se fala sobre as categorias de base do Santos. De fato, é o clube que melhor aproveita suas pratas da casa, em comparação aos demais clubes brasileiros. Qual o motivo disso?

DC: Difícil traçar esse comparativo, mas posso falar pelo que vivi lá no Santos na base. Realmente o trabalho é muito sério e o que pode ser o diferencial é essa transição que existe com o Profissional. Se oportunidade for dada as chances de aproveitamento são bem maiores.

, , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *