CRUZEIRO VENCEU E AVANÇOU

No Mineirão, em Belo Horizonte, o Cruzeiro entrou em campo podendo perder por até um gol de diferença por conta do triunfo por 2 a 0 na ida.

A Raposa, no entanto, ignorou a vantagem e partiu para cima do Murici.

Aos 31 minutos do primeiro tempo, Thiago Neves levantou a bola na área em cobrança de falta, o zagueiro Cláudio tentou cortar e acabou marcando contra a própria equipe.

Cinco minutos depois, Edson Veneno derrubou Rafael Sobis na área e o árbitro marcou o pênalti.

No melhor estilo “quem sofre, bate”, o atacante foi para a bola e bateu forte, no meio, para ampliar o marcador.

Na etapa final, a Raposa apenas administrou a vantagem.

Aos 38 minutos do segundo tempo, Deisinho tentou cortar falta cobrada por Thiago Neves na área e acabou marcando contra.

Raposa 3 a 0 e vaga garantida.

No Beira-Rio, em Porto Alegre, o Internacional foi para o jogo com tranquilidade, por conta do triunfo por 4 a 1 na primeira partida.

Aos 41 minutos do primeiro tempo, Fabinho arrancou pela direita e cruzou na medida para Carlos, de cabeça, deixar a vantagem gaúcha ainda maior.

No segundo tempo, o Colorado passou a trocar mais passes na defesa e administrar o resultado.

Aos 23 minutos do segundo tempo, Carlos mostrou que estava mesmo em uma noite boa e marcou mais um.

O atacante recebeu ótimo lançamento de Iago e, com belo toque, ampliou.

Seis minutos mais tarde, D’Alessandro acertou o ângulo direto em cobrança de falta e deu números finais ao duelo com grande estilo.

Na Ilha do Retiro, no Recife, o Sport ignorou a vantagem construída no jogo da ida, com vitória por 3 a 0, e adotou postura ofensiva desde o apito inicial do árbitro.

Após inúmeras chances, o gol rubro-negro veio sair aos 31 minutos do primeiro tempo.

Após cruzamento de Mena, a bola sobrou para Diego Souza mandar uma bomba para o fundo da rede.

Na melhor chance do Boavista na partida, já aos 19 do segundo tempo, Renato Silva subiu bem após escanteio cobrado por Robert e tocou de cabeça. Magrão fez grande defesa e evitou o empate.

No Giulite Coutinho, o Fluminense entrou em campo com a vantagem do 0 a 0 pelo resultado de 1 a 1 da ida, mas não quis saber disso e precisou de apenas 14 minutos para abrir o placar.

O lateral-esquerdo Léo fez boa jogada e serviu Douglas.

O meia bateu bonito, colocado, para deixar o Tricolor em vantagem.

O segundo veio quatro minutos depois. Raphael Silva perdeu a bola na área e derrubou Richarlison: pênalti.

Na cobrança, Henrique Dourado apenas deslocou o goleiro Edson.

O Criciúma não se entregou.

Aos 29 minutos do primeiro tempo, Raphael Silva lançou na área, a defesa do Flu falhou e Giaretta aproveitou para descontar.

Na etapa final, o Tigre voltou melhor e pressionou, mas foi o time carioca que conseguiu balançar a rede.

Com 16 minutos do segundo tempo, Léo fez outra boa jogada pela esquerda e passou para Sornoza.

O meia bateu forte e marcou o terceiro.

Já nos minutos finais, aos 42 minutos do segundo tempo, após muita pressão, o Criciúma fez mais um, com Silvinho aproveitando rebote após bola na trave.

O time catarinense pressionou nos últimos instantes da partida, mas a equipe da casa soube controlar a vantagem para garantir a classificação.

No Frasqueirão, o ABC tinha uma dura missão diante do São Paulo após derrota por 3 a 1 no jogo da ida.

Logo no primeiro minuto, porém, o Mais Querido encheu seu torcedor de esperança, com Márcio Passos marcando de cabeça após cobrança de escanteio.

A partir daí, o Tricolor passou a dominar a partida.

Aos 37 minutos do primeiro tempo, o peruano Cueva tabelou com Gilberto e deixou tudo igual.

Na etapa final, o time do Morumbi controlou bem o resultado e, com exceção de uma bola na trave de Dalberto, aos 40 minutos, não teve grandes problemas para garantir a classificação.

A bola rolou no Gilberto Resende, em Gurupi (TO), às 20h30 (de Brasília). Precisando da vitória por dois ou mais gols de diferença, o time da casa partiu para dentro do Joinville.

Aos 14 minutos, Alan Kardek acertou a trave.

A pressão continuou na etapa final e, aos 12 minutos do segundo tempo, Ederson recebeu na frente.

De canhota, ele mandou para o fundo da rede do goleiro Matheus.

Já no fim, com o cronômetro na marca dos 43 minutos, Luiz Gustavo teve grande chance de marcar o segundo, mas Matheus salvou o JEC com uma grande defesa.

Reportagem: Cbf.com.br

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *