CORINTHIANS/AUDAX CAMPEÃO DA LIBERTADORES

O Corinthians/Audax pode comemorar!

Na noite deste sábado (21), assegurou o título de campeão da Libertadores feminina, em Assunção, no Paraguai.

Com atuação brilhante da goleira Lelê, que defendeu duas cobranças nas penalidades após o empate em 0 a 0 no tempo normal, o time brasileiro garantiu sua primeira conquista da competição se colocando ao lado de Santos (2), São José (3) e Ferroviária como os detentores do troféu no país.

O primeiro tempo foi de domínio das ações pelo Corinthians/Audax, mas uma dificuldade em assegurar sucesso na finalização.

Como em outros jogos, Kerolin foi protagonista nas jogadas pelo lado direito.

Logo aos 3 minutos do primeiro tempo, apareceu em lance de perigo, mas parou diante da marcação. As chegadas se repetiriam mais algumas vezes.

O lado chileno tentava o contra-ataque para surpreender a sólida defesa corintiana.

Sem sucesso, as adversárias insistiam ainda pelo alto e em chutes à distância. Foi assim que conquistaram a melhor chance na etapa inicial.

Aos 19 minutos do primeiro tempo, Karen Araya chutou de longe.

Lelê foi no alto, defendeu, a bola bateu na trave e foi afastada pela zaga brasileira.

Mesmo com o susto, o time brasileiro seguiu com o domínio.

Um erro de arbitragem, porém, também foi personagem da decisão.

Aos 26 minutos do primeiro tempo, Camila Saez caiu sozinha em disputa com Kerolin e tocou com a mão na bola dentro da grande área.

Pênalti não marcado a favor do grupo de Arthur Elias.

As chances do Corinthians/Audax se repetiriam com Kerolin.

Aos 30 minutos do primeiro tempo, fez grande jogada pela direita, chegou dentro da grande área e mandou para Raquel, que chutou para fora.

Com dificuldade na finalização, Raquel finalmente mostrou sua sabida qualidade.

Aos 36 minutos do primeiro tempo, avançou pelo meio, driblou a marcação e chutou à queima-roupa contra a goleira Carolina, que fez grande defesa, mantendo o placar fechado.

O Corinthians retornou para o segundo tempo com o mesmo ímpeto dos 45 minutos iniciais, mas ainda com o problema na finalização.

As chances apareciam, mas a bola não entrava.

Logo com segundos, Kerolin se aproximou mais da meta, mas chutou nas mãos da goleira Carolina.

Destaque do time, Claudia Soto tentava iniciar as jogadas para o Colo-Colo.

Parava na marcação de Daiane. Em uma chance, cobrou falta na área brasileira, mas sem perigo.

Se as chilenas não ameaçavam, o Corinthians/Audax buscava sair em velocidade.

Em um lance, aos 6 minutos do segundo tempo, Grazi apareceu pela esquerda sem marcação, mas acabou finalizando em direção à defesa adversária.

Aos 13 minutos do segundo tempo, o Colo-Colo resolveu colocar mais as asas de fora e chegou com perigo com Geraldine, que finalizou para fora.

A partir dos 15 minutos, foi um bombardeio ofensivo corintiano. Kerolin, Yasmin, Raquel…o revezamento no ataque era forte, mas sem sucesso.

A final complicou para o Corinthians aos 40 minutos do segundo tempo.

Em lance errado da arbitragem e desproporcional, Raquel acabou expulsa em jogada dentro da grande área de ataque.

Mesmo com uma a menos em campo, a equipe brasileira seguia buscando o setor ofensivo e pressionando, mas a objetividade foi falha.

Cacau, que entrou no segundo tempo, ainda arriscou um chute de fora da área aos 43 minutos do segundo tempo e mandou pela linha de fundo.

O capítulo final chegou: cobranças de penalidades e começo com dificuldades.

Cacau errou sua cobrança. Villamayor veio logo depois e converteu assim como a corintiana Daiane, a rival Karen, Kerolin (Corinthians/Audax), Queraza (Colo-Colo) e Ingrid (Corinthians/Audax).

Tudo se encaminhava para uma conquista chilena.

Foi quando a goleira Lelê começou a aparecer.

Maior estrela adversária, Soto chutou para defesa certeira da arqueira corintiana.

Vieram as cobranças certas de Byanca Brasil (Corinthians/Audax), Carla Guerrero (Colo-Colo), mas Yasmin acabou perdendo.

Lelê precisaria aparecer novamente e foi assim diante de Saez.

Ana Vitória garantiu a cobrança certeira para o Corinthians.

No suspiro final das chilenas, Rocio Soto mandou para fora sua cobrança e decretou o título para o Brasil.

Campanha do Corinthians/Audax na Libertadores feminina:

Corinthians/Audax (Brasil) 2 X 0 Deportivo Limpeño (Paraguai)

Corinthians/Audax (Brasil) 6 X 1 Deportivo Ita (Bolívia)

Corinthians/Audax (Brasil) 2 X 1 Independente Santa Fé (Colômbia)

Corinthians/Audax (Brasil) 3 X 0 Cerro Porteño (Paraguai)

Corinthians/Audax (Brasil) 0 X 0 Colo-Colo (Chile) (vitória nos pênaltis por 5 a 4)

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *