Colón perto da classificação!!!

Colón fica perto da vaga e gols no final marcam noite da Sul-Americana.

O Colón está muito perto de avançar à segunda fase da Copa Sul-Americana.

Na noite desta terça-feira (19), a equipe argentina bateu o Deportivo Municipal, do Peru, por 3 a 0, no primeiro duelo eliminatório do confronto.

Estigarribia, Rodriguez e Bernardi marcaram os gols.

Mais cedo, a Universidad Espanhola, do Chile, escapou de um resultado complicadíssimo.

No primeiro jogo contra o Mushuc Runa, do Equador, a equipe visitante abriu o placar com Rivas, mas Llanos garantiu o empate no último minuto de jogo.

Para fechar a noite de futebol pela segunda competição mais importante do continente, o acional de Potosi, da Bolívia, recebeu o Zulia, da Venezuela, e saiu derrotado pelo placar mínimo.

O único gol dos visitantes foi anotado por Moya, também nos acréscimos.

Efetivo, Zulia derrota o Nacional Potosí e fica perto da vaga na Sul-Americana.

Time venezuelano segurou a pressão do rival através do goleiro Morales e marcou o gol da vitória nos acréscimos.

Na altitude boliviana, o Zulia segurou a pressão do Nacional de Potosí e nos acréscimos venceu por 1 a 0.

O único gol do jogo saiu através de Bryan Velasquez.

Agora, o time venezuelano joga pelo empate.

Já os bolivianos têm que vencer por dois gols.

Caso devolva o marcador a vaga será decidida nos pênaltis.

A partida da volta entre as equipes acontece no dia 16 de abril, na cidade de Maracaibo, na Venezuela.

Apoiado pela torcida e com a altitude a seu favor, o Nacional Potosí abriu o jogo no campo de ataque.

O time boliviano arriscava nos chutes de fora da área e velocidade pelos lados.

Porém, o primeiro lance perigoso veio com o Zulia.

Em belo contra-ataque, Brayan Velasquez invadiu a grande área e bateu cruzado.

A bola passou rente a trave e foi pela linha de fundo.

A resposta do Potosí veio na bola aérea.

No levantamento da esquerda, Harold Reyna, sozinho na pequena área, cabeceou desajeitado e mandou para fora.

Apesar da pressão boliviana, o Zulia conseguia travar com o ferrolho ofensivo e não deixava o adversário tabelar na entrada da área.

Se estava difícil em jogada coletiva, o jeito era apostar no individual e Reyna tirou tinta da trave em bomba da intermediária.

Nos minutos finais da etapa inicial o time da casa aumentou o volume da pressão e por pouco não marcou.

No cruzamento da direita, Pérez cabeceou, Morales executou um milagre com os pés.

No rebote, Pérez tentou empurrar para o gol e carimbou o poste.

Na etapa final o panorama era idêntico.

O Potosí pressionava e o Zulia não conseguia sair do campo defensivo.

Pérez, sempre perigoso com dribles, tabelou com o companheiro, deixou dois marcadores na saudade e chutou em cima de Morales pegou.

No lance mais perigoso, Torrico cruzou no segundo pau e Castellón carimbou a trave.

No rebote, Salazar ajeitou na entrada da grande área e balançou o travessão venezuelano.

Assim como no primeiro tempo, o Nacional encontrava dificuldades para furar a barreira do Zulia.

O jeito foi novamente apostar nos chutes de fora da área e Salazar era a principal arma.

O volante soltou um torpedo da intermediária e Morales fez bela defesa.

Nos últimos momentos do confronto, o ataque contra defesa permaneceu, porém as chances criadas pelos bolivianos pararam no goleiro Morales, que segurava a igualdade.

Aos 47 minutos do segundo tempo, o Zulia conseguiu finalmente encaixar um contra-ataque e saiu com a vitória.

Velasquez recebeu na entrada da grande área e bateu na saída do goleiro, 1 a 0.

Reportagem: Gazetaesportiva.com/Futebolatino.lance.com.br

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *