Clássico da amizade ficou no empate

Modo alerta: Botafogo e Vasco empatam no Nilton Santos e seguem próximos do Z-4.

Luiz Fernando abre o placar em belo chute, mas argentino garante ponto importante na luta contra a degola.

Os pouco mais de dez mil presentes no Nilton Santos deixaram o estádio sem motivos para comemorar na noite desta terça-feira (9).

Num clássico truncado e com poucas chances claras de gol, Botafogo e Vasco ficaram no empate em 1 a 1, Luiz Fernando marcou para o Alvinegro.

Maxi López deixou tudo igual, e seguem numa incômoda proximidade com a zona de rebaixamento.

Botafogo: décimo segundo colocação – 34 pontos

Próximo jogo: Ceará-CE X Botafogo-RJ, segunda (15/10/2018), às 20 horas (horário de Brasília).

Vasco: décimo quinto colocação – 31 pontos

Próximo jogo: Vasco-RJ X Cruzeiro-MG, domingo (14/10/2018), às 16 horas (horário de Brasília).

O Botafogo tomou a iniciativa no Nilton Santos e ensaiou o gol logo na primeira chegada.

Erik balançou a rede, mas não antes de Kieza cometer falta.

Melhor do time da casa em campo, Luiz Fernando chamou a responsabilidade: marcou um belo gol em chute de fora aos 16 minutos do primeiro tempo e ainda acertou o travessão mais tarde, após tentativa de cruzamento e desvio em Luiz Gustavo.

Acuado no início, o Vasco só assustou aos 20 minutos do primeiro tempo, mas a cabeçada de Henrique parou em Saulo.

Sobrou para Maxi López, como já virou rotina, colocar o time novamente no jogo.

O argentino dominou com muita categoria na área, bateu de esquerda e contou com desvio em Marcinho para trair o goleiro e deixar tudo igual antes do intervalo.

O panorama na segunda etapa foi semelhante.

E o Botafogo enfileirou oportunidades desperdiçadas, a maioria em jogadas pela lateral.

Luiz Fernando e Moisés, em duas delas, entraram livres nas costas de Pikachu, mas foram mal na hora da definição.

O Vasco foi tímido e só chegou com Andrey, mas a bomba do garoto parou em outra boa defesa de Saulo.

A bola praticamente não rolou nos minutos finais: o árbitro Ricardo Marques Ribeiro, que ouviu reclamação de pênalti do lado alvinegro em dois lances, travou o jogo, que terminou sem lado vitorioso.

Se tem um jogador símbolo do Vasco na luta contra o rebaixamento é Maxi López.

Mais uma vez saiu dos pés do argentino o gol do empate no clássico.

Agora são quatro gols e três assistências em 11 jogos, uma participação direta em 80% dos gols do Vasco quando atuou.

Luiz Fernando foi mais uma vez o principal jogador do Botafogo em campo.

O camisa 11, que já havia marcado contra o Bahia, pela Sul-Americana, chegou a colocar a equipe na frente contra o Vasco em um belo chute de fora da área.

E só não saiu melhor do Nilton Santos pela ineficiência de Moisés.

O lateral não aproveitou as boas chances armadas pelo atacante em cima de Pikachu.

O Botafogo saiu na bronca com Ricardo Marques Ribeiro.

Aos 7 minutos do segundo tempo, Kieza se embolou com Ramon na área, foi para o chão, mas o árbitro nada marcou.

Aos 45 minutos do segundo tempo, nova reclamação: João Pedro cobrou escanteio na área, Pimpão desviou e viu a bola bater no cotovelo de Yago Pikachu.

Na interpretação de Ricardo Marques Ribeiro, lance normal.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *