BRASILEIRA FOI BICAMPEÃ NAS PISCINAS

A brasileira Etiene Medeiros conquistou neste sábado (10), o bicampeonato mundial dos 50m costas em piscina curta, que está sendo disputado em Windsor, no Canadá.

Para levar o ouro, a pernambucana fez o melhor tempo do ano, 25s82, ficando à frente da húngara e campeoníssima Katinka Hosszu, prata com 25s99, e da americana Alexandra Margaret De Loff, bronze com 25s14.

Antes sempre rola aquele friozinho, mas tem que se manter positivo.

Não é fácil estar aqui e buscar mais uma medalha. Estou muito feliz e rodeada por pessoas. Esse ano eu aceitei muita coisa.

Dor, felicidade.

Virei muita página.

Terminar o ano com essa medalha me deixa muito leve. Sei que o Brasil passa por muitas coisas difíceis – disse Etiene em entrevista ao canal SporTV.

Em 2014, em Doha, a nadadora de 25 anos se tornou a primeira brasileira a conquistar uma medalha em um mundial do esporte, seja de piscina curta ou olímpica.

Chegou ao Canadá com o recorde mundial e da competição. E nas semifinais de sexta-feira mostrou que vinha forte, fazendo o então melhor tempo do ano, 26s00.

Neste sábado (10), Etiene desistiu de nadar os 50m livre para se dedicar somente ao nado costas.

Na quinta-feira (8), ela foi fundamental para o revezamento medley misto do Brasil levar a medalha de prata ao abrir a prova e nadar em 25s93, tempo que não é válido para o ranking mundial por ser uma prova mista.

Neste domingo (11), o Brasil tem mais chances de conquistar medalhas.

Nos 50m peito, o recordista do Mundial Felipe França tenta o tricampeonato da prova com o quarto melhor tempo das semifinais, terceiro de sua série, com 26s10.

Felipe Lima venceu a sua série com 26s08 e ficou em segundo no geral.

Único a nadar abaixo dos 26s, o russo Kireill Prigoda fez 25s95 vai para a final com o melhor tempo.
Daiene Dias vai para a final dos 100m borboleta com o sexto melhor tempo entre as oito finalistas, 57s10.

Etien ficou em terceirio em sua série.

A mais rápida foi a americana Kelsi Worrell, com o tempo de 55s80.

Grande destaque individual da competição, a “mulher de ferro” Katinka Hosszu perdeu o ouro para Etiene, mas venceu os 200m medley com 2m02s90 e chegou a oito medalhas em Windsor, seis de ouro e duas de prata, 20 em toda competição.

Cabe mais, já que ela se classificou para a final dos 100m borboleta neste domingo (11).

Primeira negra campeã mundial, a jamaicana Alia Atkison conquistou o bi nos 100m peito com o tempo de 1m03s03. Entre os homens, o sul-africano Chad Le Clos levou o bicampeonato nos 50m borboleta, 21s98, melhor tempo do ano.

Reportagem: Globoesporte.globo.com

Adaptação: Eduardo Oliveira

Revisão de Texto: Ana Cristina Ribeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confirme que você não é um robô. *